Books 

 

Diplomacia europeia : instituições, alargamento e o futuro da União 

Soares, Mário | Costa, Francisco Seixas da  

Lisboa : Dom Quixote

2002

Infelizmente, a versão integral deste título não se encontra disponível por razões de direitos de autor.
Mais obras de Mario Soares
 
Biography 

Mário Soares (português, nascido 7 dezembro 1924), foi um resistente à ditadura de Salazar, preso várias vezes e deportado em 1968, exilou-se em França onde lecionou em várias universidades (1970). Advogado defensor de presos políticos, co-fundador e Secretário-Geral do Partido Socialista (1973 a 1986). Regressou a Portugal em 1974, após a Revolução. Foi Ministro dos Negócios Estrangeiros (1974-1975) e um dos impulsionadores da independência das colónias portuguesas, Primeiro-Ministro em 3 governos (1976-1985), Presidente da República (1986-1996) e Deputado ao Parlamento Europeu (1999-2004). Activou o processo de adesão de Portugal à CEE e assinou o Tratado de Adesão em 1985. Homem de Estado, europeu convicto, publicou vários livros de natureza política.

Francisco Seixas da Costa (português, nascido 1948) é administrador e consultor empresarial. Entre 1975 e 2013, foi diplomata português. Exerceu também funções políticas entre 1995 e 2001: foi Secretário de Estado dos Assuntos Europeus, tendo integrado os XIII e XIV Governos Constitucionais. Nessa qualidade, foi o principal negociador português do Tratado de Amesterdão (1995-1997) e do Tratado de Nice (2000), tendo presidido ao Comité de Ministros do Acordo de Schengen (1997) e ao Conselho de Ministros do Mercado Interno da União Europeia (2000).

Regressado à carreira diplomática, em 2001, foi embaixador representante permanente junto das Nações Unidas (2001-2002), onde desempenhou os cargos de vice-presidente do Conselho Social e Económico - ECOSOC (2001); foi embaixador de Portugal no Brasil, em França, e embaixador não-residente no Mónaco, com residência em Paris.

Summary 

F. Seixas da Costa foi Secretário de Estado dos Assuntos Europeus em dois governos chefiados por António Guterres, entre 1995 e 2001. Nesse período tiveram lugar duas revisões do Tratado da União Europeia (Amesterdão e Nice), a negociação das perspectivas financeiras (2000-2006), deu-se início aos novos processos de adesão, culminando com a presidência portuguesa da União Europeia em 2000. Como negociador principal português, Seixas da Costa foi um ator privilegiado num período crucial do processo de construção do projeto europeu. 'Diplomacia Europeia' é um testemunho pessoal da participação de Seixas Costa nesse processo e dos acontecimentos mais marcantes desses seis anos. Num estilo direto e com uma linguagem acessível, Seixas da Costa analisa o processo de reformas que tiveram lugar nesse período e reflete sobre o futuro possível/provável da União e das Instituições Europeias. O resultado final é, como Mário Soares salienta no prefácio ao livro, 'um rearranjo de vários textos de grande atualidade que envolve, na sua globalidade, uma visão integrada da posição de Portugal na União Europeia e dos grandes problemas comunitários que estão hoje em cima da mesa.'