Parlemeter 2011

 

A meio da legislatura de 2009-2014, este novo Parlemeter avalia a perceção que os Europeus têm do Parlamento Europeu e as políticas e valores que gostariam que esta Instituição promovesse e defendesse.

O trabalho de campo foi conduzido pela “TNS Opinion”, entre 3 e 20 de novembro de 2011, num contexto particularmente difícil para a Europa: recordemos, entre outros, o referendo falhado na Grécia, a mudança de primeiro-ministro neste mesmo país e na Itália, a subida das taxas de juro das dívidas soberanas de vários países da zona euro, as eleições gerais em Espanha, a cimeira do G20, etc.

As principais conclusões desta análise são as seguintes:

  • Relativamente às políticas prioritárias que os Europeus gostariam que o Parlamento Europeu promovesse, o combate à pobreza e exclusão social continua a ser a principal preocupação (49%).

    Dada a atual crise, a coordenação das políticas económicas, orçamentais e fiscais apresenta-se em segundo lugar, com um forte aumento de respostas dentro da zona euro (37%).

    No entanto, todas as políticas que não estejam diretamente relacionadas com a crise atual sofreram um significativo declínio para alguns: o combate às alterações climáticas, a política agrícola, o combate ao terrorismo, a política de imigração.

  • No que diz respeito a valores, está a decrescer o número de respostas em que figura cada um deles. A proteção dos Direitos Humanos apresenta-se em primeiro lugar (56 %), seguida pela igualdade entre homens e mulheres (33 %) e pela liberdade de expressão (32 %).
  • Quanto ao papel que os inquiridos atribuem ao Parlamento Europeu, é importante salientar o grande aumento daqueles que pretendem que o PE continue a desempenhar um papel semelhante. Por outro lado, o número dos que pretendem que o Parlamento Europeu desempenhe um papel mais importante ou menos importante está a diminuir.
  • Neste contexto de crise, a imagem do Parlamento Europeu não evoluiu de forma positiva, tal como a imagem de outras instituições europeias, parlamentos e governos nacionais.
  • No que diz respeito aos poderes do Parlamento Europeu, à eleição de deputados e ao número de deputados designados por cada Estado Membro, a maioria dos inquiridos deu uma resposta positiva.
 
 
 
Tools
 
 
Sondagens de opinião do Parlamento Europeu

O Parlamento Europeu encomenda periodicamente estudos de opinião pública nos Estados-Membros.

Ao proceder desta forma, o Parlamento Europeu esforça-se por melhor captar a percepção e as expectativas dos cidadãos sobre as suas actividades e as da União Europeia no seu conjunto, o que constitui uma ajuda preciosa para preparar, determinar e avaliar o seu trabalho.

O leitor dispõe de informações sobre as atitudes dos Europeus perante as alterações climáticas ou a actual situação económica, mas também sobre o modo como os cidadãos encaram e aquilo que esperam das eleições europeias, do Parlamento Europeu e da integração europeia em geral.