Processo : 2017/0328(COD)
Ciclo de vida em sessão
Ciclo relativo ao documento : A8-0063/2018

Textos apresentados :

A8-0063/2018

Debates :

Votação :

PV 15/03/2018 - 10.8
CRE 15/03/2018 - 10.8
PV 25/10/2018 - 13.11

Textos aprovados :

P8_TA(2018)0086
P8_TA(2018)0427

RELATÓRIO     ***I
PDF 528kWORD 66k
12.3.2018
PE 615.463v02-00 A8-0063/2018

sobre a proposta de regulamento do Parlamento Europeu e do Conselho que altera o Regulamento (CE) n.º 726/2004 no que respeita à localização da sede da Agência Europeia de Medicamentos

(COM(2017)0735 – C8-0421/2017 – 2017/0328(COD))

Comissão do Ambiente, da Saúde Pública e da Segurança Alimentar

Relator: Giovanni La Via

PROJETO DE RESOLUÇÃO LEGISLATIVA DO PARLAMENTO EUROPEU
 DECLARAÇÃO DO PARLAMENTO EUROPEU
 EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS
 PARECER da Comissão dos Assuntos Constitucionais
 PROCESSO DA COMISSÃO COMPETENTE QUANTO À MATÉRIA DE FUNDO
 VOTAÇÃO NOMINAL FINALNA COMISSÃO COMPETENTE QUANTO À MATÉRIA DE FUNDO

PROJETO DE RESOLUÇÃO LEGISLATIVA DO PARLAMENTO EUROPEU

sobre a proposta de regulamento do Parlamento Europeu e do Conselho que altera o Regulamento (CE) n.º 726/2004 no que respeita à localização da sede da Agência Europeia de Medicamentos

(COM(2017)0735 – C8-0421/2017 – 2017/0328(COD))

(Processo legislativo ordinário: primeira leitura)

O Parlamento Europeu,

–  Tendo em conta a proposta da Comissão ao Parlamento Europeu e ao Conselho (COM(2017)0735),

–  Tendo em conta o artigo 294.º, n.º 2, o artigo 114.º e o artigo168.º, n.º 4, alínea c), do Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia, nos termos dos quais a proposta lhe foi apresentada pela Comissão (C8-0421/2017),

–  Tendo em conta o artigo 294.º, n.º 3, do Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia,

–  Tendo em conta o artigo 59.º do seu Regimento,

–  Tendo em conta o relatório da Comissão do Ambiente, da Saúde Pública e da Segurança Alimentar e o parecer da Comissão dos Assuntos Constitucionais (A8-0063/2018),

1.  Aprova a posição em primeira leitura que se segue;

2.  Denuncia a Declaração Conjunta do Parlamento Europeu, do Conselho da União Europeia e da Comissão Europeia, de 19 de julho de 2012, sobre as agências descentralizadas, bem como a Abordagem Comum a esta anexa, e solicita que o Parlamento Europeu seja estreitamente associado ao processo de decisão relativo à localização e transferência das agências e organismos, tendo em conta as suas prerrogativas enquanto colegislador no âmbito do processo legislativo ordinário;

3.  Aprova a sua declaração anexa à presente resolução;

4.  Lamenta que o Parlamento Europeu – e, em última análise, os representantes dos cidadãos da União – não tenha sido plenamente associado ao processo de seleção da nova sede da Agência Europeia de Medicamentos (EMA), que acabou por ser concluído por sorteio, não obstante a importância da decisão; considera que as decisões relacionadas com a localização dos organismos e agências têm de ser e, legalmente, devem ser tomadas no âmbito do processo legislativo ordinário, respeitando plenamente as prerrogativas do Parlamento Europeu, segundo as quais o Parlamento Europeu e o Conselho são colegisladores em pé de igualdade;

5.  Lamenta a decisão do Conselho, pois vem agravar a desproporcionalidade geográfica, dado que das 37 agências descentralizadas da UE apenas 9 estão sediadas em novos Estados-Membros, contrariando assim as conclusões do Conselho Europeu 5381/04 e 11018/1/08 que apontam no sentido de dar prioridade aos novos Estados-Membros;

6.  Exorta as autoridades orçamentais e a Comissão a assegurarem que os custos relativos à alteração da sede da EMA sejam totalmente cobertos pelo atual país de acolhimento; sublinha que uma parte dos custos inerentes à mudança de sede terá de ser pré-financiada pelo orçamento da UE, antes de ser celebrado o acordo financeiro com o atual país de acolhimento;

7.  Exorta as autoridades orçamentais e a Comissão a assegurarem que os custos relativos à alteração da sede da EMA sejam totalmente cobertos pelo atual país de acolhimento;

8.  Exorta as autoridades orçamentais e a Comissão a assegurarem que os custos suplementares relativos à dupla mudança da sede da EMA, de início para um local temporário e depois para o edifício Vivaldi, sejam totalmente cobertos pelo governo neerlandês e, por conseguinte, não afetem negativamente o orçamento geral da União;

9.  Exorta as autoridades orçamentais e a Comissão a assegurarem que esta dupla mudança não prejudique as necessidades operacionais normais da EMA e que seja garantido o bom funcionamento e a continuidade das atividades da EMA, sem perturbações, para além de março de 2019;

10.  Requer à Comissão que lhe submeta de novo a sua proposta, se a substituir, se a alterar substancialmente ou se pretender alterá-la substancialmente;

11.  Encarrega o seu Presidente de transmitir a posição do Parlamento ao Conselho, à Comissão e aos parlamentos nacionais.

Alteração    1

Proposta de regulamento

Considerando 2

Texto da Comissão

Alteração

(2)  Tendo em conta o artigo 50.º, n.º 3, do Tratado da União Europeia, a Agência Europeia de Medicamentos deve ocupar a sua nova sede a partir da data em que os Tratados deixarem de ser aplicáveis ao Reino Unido ou a partir de 30 de março de 2019, consoante a data que ocorrer primeiro.

(2)  Tendo em conta o artigo 50.º, n.º 3, do Tratado da União Europeia (TUE), a Agência Europeia de Medicamentos deve ocupar a sua nova sede a partir de 30 de março de 2019.

Justificação

The date of 30 March 2019 is the date when the UK is expected to become a third country. Although the Commission’s proposal reflects the legal possibility that the UK could leave the Union before the end of the 2 years period foreseen in Art 50, the Agency requires legal certainty as regards the official date of its departure from the UK for several practical reasons related to the planning of its relocation process. To avoid that the Agency would have to suddenly move earlier than currently planned, e.g. due to a collapse in the EU-UK negotiations, the Agency would not be in a position to complete all necessary relocation activities on time.

Alteração    2

Proposta de regulamento

Considerando 3

Texto da Comissão

Alteração

(3)  A fim de assegurar o funcionamento adequado da Agência Europeia de Medicamentos na nova localização, deve ser celebrado um acordo de sede antes que a Agência Europeia de Medicamentos ocupe a sua nova sede.

(3)  A fim de assegurar o funcionamento adequado da Agência Europeia de Medicamentos na nova localização, deve ser celebrado um acordo de sede o mais rapidamente possível. O acordo de sede deve incluir as modalidades e condições mais adequadas para o êxito da mudança de sede da Agência Europeia de Medicamentos e do seu pessoal para Amesterdão.

Justificação

É necessário estabelecer na legislação um calendário preciso para a assinatura do acordo de sede, a fim de evitar atrasos nas negociações deste acordo e, dessa forma, facilitar as atividades preparatórias para a mudança de sede até 30 de março de 2019. A celebração de um acordo de sede que preveja um quadro detalhado para a instalação da Agência no novo país de acolhimento reduzirá a incerteza e assegurará uma maior clareza aos membros do pessoal, garantindo assim a continuidade operacional em todas as fases do processo de mudança de sede.

Alteração    3

Proposta de regulamento

Considerando 3-A (novo)

 

Texto da Comissão

Alteração

 

(3-A)  A fim de assegurar a continuidade de todas as atividades da Agência, a localização temporária em Amesterdão deve ser garantida a partir de 1 de janeiro de 2019 e a sede definitiva da Agência deve estar concluída, o mais tardar, em 15 de novembro de 2019.

Alteração    4

Proposta de regulamento

Considerando 3-B (novo)

 

Texto da Comissão

Alteração

 

(3-B)  É de louvar que a nova localização da Agência corresponda às preferências dos atuais membros do pessoal e que as autoridades neerlandesas estejam a envidar esforços para garantir que esta dupla transferência não comprometa a eficácia operacional, a continuidade das atividades e o funcionamento ininterrupto da Agência. No entanto, devido à dupla transferência para Amesterdão, a Agência, enquanto estiver instalada na sede provisória, terá de, temporariamente, retirar prioridade a certas atividades, como o seu trabalho em domínio como os medicamentos pediátricos e os problemas de saúde pública, incluindo em matéria de resistência aos agentes antimicrobianos e de pandemias de gripe. Os atrasos já anunciados pelo governo neerlandês, que levaram ao adiamento da entrega do edifício definitivo cuja construção ainda não começou, suscitam preocupação em relação a eventuais novos atrasos. O período de ocupação do edifício provisório deve limitar-se a 10 meses e meio, a fim de assegurar que a Agência possa funcionar de novo em pleno a partir de 16 de novembro de 2019 e evitar novas perdas de competências.

Alteração    5

Proposta de regulamento

Artigo 1 – parágrafo 1 – parte introdutória

Texto da Comissão

Alteração

No Regulamento (CE) n.º 726/2004 é inserido o seguinte artigo 71.º-A:

No Regulamento (CE) n.º 726/2004 são inseridos os seguintes artigos 71.º-A e 71.º-B:

Alteração    6

Proposta de regulamento

Artigo 1 – parágrafo 1

Regulamento (CE) n.º 726/2004

Artigo 71.º-A

 

Texto da Comissão

Alteração

Artigo 71.º-A

Artigo 71.º-A

A Agência tem sede em Amesterdão, nos Países Baixos.

A Agência tem sede em Amesterdão, nos Países Baixos.

 

A Comissão e as autoridades competentes dos Países Baixos tomam todas as medidas necessárias para garantir que a Agência possa mudar para a sua sede provisória até 1 de janeiro de 2019 e para a sua sede definitiva, o mais tardar, em 16 de novembro de 2019.

 

A Comissão e as autoridades competentes dos Países Baixos apresentam um relatório escrito ao Parlamento Europeu e ao Conselho sobre os progressos realizados a nível das adaptações das instalações provisórias e da construção do edifício definitivo, no prazo de três meses a contar da data de entrada em vigor do presente regulamento e, posteriormente, de três em três meses, até que a Agência mude para a sua sede definitiva.

Alteração    7

Proposta de regulamento

Artigo 1 – parágrafo 1 – parte introdutória

Regulamento (CE) n.º 726/2004

Artigo 71-B (novo)

 

Texto da Comissão

Alteração

 

Artigo 71.º-B

 

Um acordo de sede que permita à Agência assumir as suas funções nas instalações aprovadas pelo Parlamento Europeu e pelo Conselho é concluído no prazo de três meses a contar da data da entrada em vigor do presente regulamento.

Justificação

É necessário estabelecer na legislação um calendário preciso para a assinatura do acordo de sede, a fim de evitar atrasos nas negociações deste acordo e, dessa forma, facilitar as atividades preparatórias para a mudança de sede até 30 de março de 2019. A celebração de um acordo de sede que preveja um quadro detalhado para a instalação da Agência no novo país de acolhimento reduzirá a incerteza e assegurará uma maior clareza aos membros do pessoal, garantindo assim a continuidade operacional em todas as fases do processo de mudança de sede.

Alteração    8

Proposta de regulamento

Artigo 2 – parágrafo 2

Texto da Comissão

Alteração

O presente regulamento é aplicável a partir da data em que os Tratados deixarem de ser aplicáveis ao Reino Unido ou a partir de 30 de março de 2019, consoante a data que ocorrer primeiro.

O presente regulamento é aplicável a partir de 30 de março de 2019.

Justificação

The date of 30 March 2019 is the date when the UK is expected to become a third country. Although the Commission’s proposal reflects the legal possibility that the UK could leave the Union before the end of the 2 years period foreseen in Art 50, the Agency requires legal certainty as regards the official date of its departure from the UK for several practical reasons related to the planning of its relocation process. To avoid that the Agency would have to suddenly move earlier than currently planned, e.g. due to a collapse in the EU-UK negotiations, the Agency would not be in a position to complete all necessary relocation activities on time.


DECLARAÇÃO DO PARLAMENTO EUROPEU

O Parlamento Europeu lamenta que o seu papel de colegislador não tenha sido devidamente tido em conta, uma vez que não foi associado ao processo que conduziu à seleção da nova sede da Agência Europeia de Medicamentos (EMA).

O Parlamento Europeu gostaria de recordar as suas prerrogativas enquanto colegislador e insiste no pleno respeito do processo legislativo ordinário relativamente à localização de organismos e agências.

Como única instituição da União eleita por sufrágio direto e representante dos cidadãos da União, é o primeiro garante do respeito do princípio democrático na União.

O Parlamento Europeu condena o procedimento seguido para a seleção da nova localização da sede, que privou de facto o Parlamento Europeu das suas prerrogativas, dado que não foi efetivamente associado ao processo, sendo agora esperado, no entanto, que confirme simplesmente a seleção feita da nova localização da sede através do processo legislativo ordinário.

O Parlamento Europeu recorda que a Abordagem Comum anexa à Declaração Conjunta do Parlamento Europeu, do Conselho e da Comissão Europeia sobre as agências descentralizadas, assinada em 2012, não é juridicamente vinculativa, tal como reconhecido na própria declaração, e que foi acordada sem prejuízo das competências legislativas das instituições.

Por conseguinte, o Parlamento Europeu insiste em que o processo seguido para a seleção de uma nova localização das agências seja revisto e não volte a ser usado com esta forma no futuro.

Finalmente, o Parlamento Europeu gostaria também de recordar que, nos termos do Acordo Interinstitucional sobre legislar melhor, de 13 de abril de 2016(1), as três instituições estão empenhadas numa cooperação leal e transparente, recordando ao mesmo tempo a igualdade dos dois colegisladores consagrada nos Tratados.

(1)

JO L 123 de 12.5.2016, p. 1.


EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) é uma importante agência descentralizada da UE, responsável pela avaliação científica, a fiscalização e o acompanhamento da segurança dos medicamentos na UE.

As necessidades de saúde e segurança da UE estão em constante evolução, criando um aumento da procura de informações e uma maior necessidade de perspetivas baseadas no risco e em factos concretos.

Por conseguinte, a missão da Agência, no sentido da promoção da excelência científica na avaliação e supervisão dos medicamentos para benefício da saúde pública e da saúde animal na União Europeia, é e continuará a ser da máxima importância.

A Agência, atualmente sediada em Londres, tem de ser relocalizada no contexto da retirada do Reino Unido da UE. Em 22 de junho de 2017, à margem do Conselho Europeu, os dirigentes da UE27 aprovaram um procedimento específico para a relocalização desta agência e da EBA. Os ministros da UE27 votaram à margem da reunião do Conselho «Assuntos Gerais» de 20 de novembro de 2017, atribuindo a localização por sorteio a Amesterdão, nos Países Baixos.

Em 29 de novembro de 2017, a Comissão Europeia propôs uma alteração legislativa para a transferência da sede da Agência Europeia de Medicamentos, no quadro do processo legislativo ordinário, requerendo aos colegisladores (Parlamento Europeu e Conselho) o tratamento prioritário da proposta legislativa, que está estritamente limitada à confirmação da nova sede da Agência no Regulamento de base.

A proposta dos Países Baixos indica o edifício Vivaldi (31,855 m²), no qual, de acordo com a proposta, o centro de conferências, bem como alguns dos locais de trabalho, deverão estar prontos até 1 de abril de 2019, ficando os restantes pisos de escritórios disponíveis no prazo de 6 meses. A proposta refere-se igualmente a instalações de apoio temporárias a utilizar a partir de 1 de janeiro de 2019 e até que a totalidade do pessoal da EMA tenha sido transferido para o edifício Vivaldi, bem como aos detalhes da distribuição do espaço, que devem ser acordados com a Agência.

O relator lamenta que o Parlamento Europeu – e, em última análise, os representantes dos cidadãos da União – não tenha tido um envolvimento pleno no processo de seleção da nova sede da EMA, que acabou por ser concluído por sorteio, não obstante a importância da decisão.

O relator tenciona, por conseguinte, propor que se trabalhe na elaboração de uma declaração, sob a forma de um anexo ao relatório que será submetido a votação na Comissão ENVI e em sessão plenária, a fim de alterar a Declaração Conjunta do Parlamento Europeu, do Conselho e da Comissão Europeia sobre as agências descentralizadas e a abordagem comum a ela anexa, assinadas em 2012, que não são juridicamente vinculativas – tal como consta da própria declaração – e foram acordadas sem prejuízo dos poderes legislativos das instituições.

O relator pretende defender as prerrogativas do Parlamento Europeu e entende que todas as decisões relacionadas com a localização dos organismos e agências da UE devem e, legalmente, têm de ser tomadas no âmbito do processo legislativo ordinário, respeitando plenamente as prerrogativas do Parlamento Europeu, segundo as quais o Parlamento Europeu e o Conselho são colegisladores em pé de igualdade.


PARECER da Comissão dos Assuntos Constitucionais (27.2.2018)

dirigido à Comissão do Ambiente, da Saúde Pública e da Segurança Alimentar

sobre a proposta de regulamento do Parlamento Europeu e do Conselho que altera o Regulamento (CE) n.º 726/2004 no que respeita à localização da sede da Agência Europeia de Medicamentos

(COM(2017)0735 – C8‑0421/2017 – 2017/0328(COD))

Relatora de parecer: Mercedes Bresso

ALTERAÇÕES

A Comissão dos Assuntos Constitucionais insta a Comissão do Ambiente, da Saúde Pública e da Segurança Alimentar, competente quanto à matéria de fundo, a ter em conta as seguintes alterações:

Alteração  1

Projeto de resolução legislativa

N.º 1-A (novo)

Projeto de resolução legislativa

Alteração

 

1-A.   Apela a uma revisão imediata da Abordagem Comum anexa à Declaração Conjunta do Parlamento Europeu, do Conselho da União Europeia e da Comissão Europeia, de 19 de julho de 2012, sobre as agências descentralizadas, por forma a envolver estreitamente o Parlamento Europeu no processo de tomada de decisões sobre a localização das agências, tendo em conta as suas prerrogativas enquanto colegislador no âmbito do processo legislativo ordinário;

Alteração    2

Projeto de resolução legislativa

N.º 1-B (novo)

Projeto de resolução legislativa

Alteração

 

1-B.   Aprova a sua declaração anexa à presente resolução;

A título informativo, a declaração tem a seguinte redação:

«O Parlamento Europeu lamenta que o seu papel de colegislador não tenha sido devidamente tido em conta, uma vez que não foi envolvido no processo que conduziu à seleção da nova sede da Agência Europeia de Medicamentos (EMA).

O Parlamento Europeu gostaria de recordar as suas prerrogativas enquanto colegislador e insiste no pleno respeito do processo legislativo ordinário relativamente à localização de organismos e agências.

Como única instituição da União eleita por sufrágio direto e representante dos cidadãos da União, é o primeiro garante do respeito do princípio democrático na União.

O Parlamento Europeu condena o procedimento seguido para a seleção da nova localização da sede, que privou de facto o Parlamento Europeu das suas prerrogativas, dado que não foi efetivamente envolvido no processo, sendo agora esperado, no entanto, que confirme simplesmente a seleção feita da nova localização da sede através do processo legislativo ordinário.

O Parlamento Europeu recorda que a Abordagem Comum anexa à Declaração Conjunta do Parlamento Europeu, do Conselho e da Comissão Europeia sobre as agências descentralizadas, assinada em 2012, não é juridicamente vinculativa, tal como reconhecido na própria declaração, e que foi acordada sem prejuízo das competências legislativas das instituições.

O Parlamento Europeu congratula-se com o facto de o processo de seleção da nova sede da agência se ter baseado em critérios de seleção referidos na Abordagem Comum mas lamenta que tenha acabado por ser concluído por sorteio. Por conseguinte, o Parlamento Europeu insiste em que o processo seguido para a seleção de uma nova localização das agências seja reformado e não volte a ser usado com esta forma no futuro.

Finalmente, o Parlamento Europeu gostaria também de recordar que, nos termos do Acordo Interinstitucional sobre legislar melhor, de 13 de abril de 20161, as três instituições estão empenhadas numa cooperação leal e transparente, recordando ao mesmo tempo a igualdade dos dois colegisladores consagrada nos Tratados.»

______________________

JO L 123 de 12.5.2016, p. 1.

Alteração    3

Proposta de regulamento

Citação 1-A (nova)

Texto da Comissão

Alteração

 

Tendo em conta o Tratado da União Europeia, nomeadamente o artigo 13.º, n.º 2,

Justificação

Referência ao dever de cooperação leal entre as instituições da União.

Alteração    4

Proposta de regulamento

Considerando 5-A (novo)

Texto da Comissão

Alteração

 

(5-A)   Nos termos do artigo 13.º, n.º 2, do Tratado da União Europeia, as instituições da União devem manter entre si uma cooperação leal nas suas relações, atuando cada instituição dentro dos limites das atribuições que lhe são conferidas pelos Tratados e de acordo com os procedimentos, condições e finalidades que estes estabelecem. O Parlamento Europeu deve ser plenamente informado e envolvido em todas as fases do processo legislativo ordinário.

PROCESSO DA COMISSÃO ENCARREGADA DE EMITIR PARECER

Título

Localização da sede da Agência Europeia de Medicamentos

Referências

COM(2017)0735 – C8-0421/2017 – 2017/0328(COD)

Comissão competente quanto ao fundo

       Data de comunicação em sessão

ENVI

11.12.2017

 

 

 

Parecer emitido por

       Data de comunicação em sessão

AFCO

11.12.2017

Relator(a) de parecer

       Data de designação

Mercedes Bresso

26.2.2018

Exame em comissão

26.2.2018

 

 

 

Data de aprovação

26.2.2018

 

 

 

Resultado da votação final

+:

–:

0:

18

3

1

Deputados presentes no momento da votação final

Mercedes Bresso, Richard Corbett, Pascal Durand, Danuta Maria Hübner, Diane James, Ramón Jáuregui Atondo, Morten Messerschmidt, Maite Pagazaurtundúa Ruiz, Pedro Silva Pereira, Barbara Spinelli, Kazimierz Michał Ujazdowski

Suplentes presentes no momento da votação final

Max Andersson, Enrique Guerrero Salom, Sylvia-Yvonne Kaufmann, Jérôme Lavrilleux, Mairead McGuinness, Cristian Dan Preda, Jasenko Selimovic

Suplentes (art. 200.º, n.º 2) presentes no momento da votação final

Eleonora Evi, Seán Kelly, Jeroen Lenaers, Ramón Luis Valcárcel Siso

VOTAÇÃO NOMINAL FINAL NA COMISSÃO ENCARREGADA DE EMITIR PARECER

18

+

ALDE

Maite Pagazaurtundúa Ruiz, Jasenko Selimovic

EFDD

Eleonora Evi

GUE/NGL

Barbara Spinelli

PPE

Danuta Maria Hübner, Seán Kelly, Jérôme Lavrilleux, Jeroen Lenaers, Mairead McGuinness, Cristian Dan Preda, Ramón Luis Valcárcel Siso

S&D

Mercedes Bresso, Richard Corbett, Enrique Guerrero Salom, Ramón Jáuregui Atondo, Sylvia-Yvonne Kaufmann

VERTS/ALE

Max Andersson, Pascal Durand

3

-

ECR

Morten Messerschmidt, Kazimierz Michał Ujazdowski

NI

Diane James

1

0

S&D

Pedro Silva Pereira

Legenda dos símbolos utilizados:

+  :  a favor

-  :  contra

0  :  abstenção


PROCESSO DA COMISSÃO COMPETENTE QUANTO À MATÉRIA DE FUNDO

Título

Localização da sede da Agência Europeia de Medicamentos

Referências

COM(2017)0735 – C8-0421/2017 – 2017/0328(COD)

Data de apresentação ao PE

29.11.2017

 

 

 

Comissão competente quanto ao fundo

       Data de comunicação em sessão

ENVI

11.12.2017

 

 

 

Comissões encarregadas de emitir parecer

       Data de comunicação em sessão

BUDG

11.12.2017

CONT

11.12.2017

ITRE

11.12.2017

AGRI

11.12.2017

 

AFCO

11.12.2017

 

 

 

Comissões que não emitiram parecer

       Data da decisão

BUDG

11.12.2017

ITRE

23.1.2018

AGRI

13.12.2017

 

Relatores

       Data de designação

Giovanni La Via

10.1.2018

 

 

 

Exame em comissão

25.1.2018

 

 

 

Data de aprovação

12.3.2018

 

 

 

Resultado da votação final

+:

–:

0:

52

6

1

Deputados presentes no momento da votação final

Margrete Auken, Pilar Ayuso, Ivo Belet, Biljana Borzan, Paul Brannen, Soledad Cabezón Ruiz, Nessa Childers, Birgit Collin-Langen, Miriam Dalli, Seb Dance, Angélique Delahaye, Bas Eickhout, José Inácio Faria, Karl-Heinz Florenz, Francesc Gambús, Elisabetta Gardini, Gerben-Jan Gerbrandy, Arne Gericke, Jens Gieseke, Julie Girling, Françoise Grossetête, Andrzej Grzyb, György Hölvényi, Anneli Jäätteenmäki, Karin Kadenbach, Kateřina Konečná, Giovanni La Via, Peter Liese, Jiří Maštálka, Susanne Melior, Miroslav Mikolášik, Rory Palmer, Piernicola Pedicini, Bolesław G. Piecha, Pavel Poc, Frédérique Ries, Daciana Octavia Sârbu, Annie Schreijer-Pierik, Davor Škrlec, Estefanía Torres Martínez, Nils Torvalds, Adina-Ioana Vălean, Jadwiga Wiśniewska, Damiano Zoffoli

Suplentes presentes no momento da votação final

Renata Briano, Nicola Caputo, Jørn Dohrmann, Eleonora Evi, Christofer Fjellner, Jan Huitema, Merja Kyllönen, Norbert Lins, Gesine Meissner, Alojz Peterle, Christel Schaldemose, Carlos Zorrinho

Suplentes (art. 200.º, n.º 2) presentes no momento da votação final

Angelo Ciocca, Emilian Pavel, Massimiliano Salini

Data de entrega

12.3.2018


VOTAÇÃO NOMINAL FINALNA COMISSÃO COMPETENTE QUANTO À MATÉRIA DE FUNDO

52

+

ALDE

Gerben-Jan Gerbrandy, Jan Huitema, Anneli Jäätteenmäki, Gesine Meissner, Frédérique Ries, Nils Torvalds

ECR

Arne Gericke, Bolesław G. Piecha, Jadwiga Wiśniewska

EFDD

Eleonora Evi, Piernicola Pedicini

GUE/NGL

Kateřina Konečná, Merja Kyllönen, Jiří Maštálka, Estefanía Torres Martínez

PPE

Pilar Ayuso, Ivo Belet, Birgit Collin-Langen, Angélique Delahaye, José Inácio Faria, Christofer Fjellner, Karl-Heinz Florenz, Francesc Gambús, Jens Gieseke, Julie Girling, Françoise Grossetête, Andrzej Grzyb, György Hölvényi, Giovanni La Via, Peter Liese, Norbert Lins, Miroslav Mikolášik, Alojz Peterle, Annie Schreijer-Pierik, Adina-Ioana Vălean

S&D

Biljana Borzan, Paul Brannen, Soledad Cabezón Ruiz, Nessa Childers, Miriam Dalli, Seb Dance, Karin Kadenbach, Susanne Melior, Rory Palmer, Emilian Pavel, Pavel Poc, Christel Schaldemose, Daciana Octavia Sârbu, Carlos Zorrinho

VERTS/ALE

Margrete Auken, Bas Eickhout, Davor Škrlec

6

-

ECR

Jørn Dohrmann

PPE

Elisabetta Gardini, Massimiliano Salini

S&D

Renata Briano, Nicola Caputo, Damiano Zoffoli

1

0

ENF 

Angelo Ciocca

Legenda dos símbolos utilizados:

+  :  votos a favor

-  :  votos contra

0  :  abstenções

Última actualização: 14 de Março de 2018Advertência jurídica