Voltar ao portal Europarl

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (seleccionado)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
 Index 
 Texto integral 
Debates
Terça-feira, 10 de Março de 2015 - Estrasburgo Edição revista

Taxas de intercâmbio aplicáveis a operações de pagamento associadas a cartões (A8-0022/2015 - Pablo Zalba Bidegain)
MPphoto
 
 

  Carlos Coelho (PPE), por escrito. ‒ Um dos grandes desafios da União Europeia é o combate à fragmentação do mercado interno em diversos domínios, em especial os obstáculos ao bom funcionamento do mercado integrado de pagamentos eletrónicos.

Apoio o relatório Bidegain, por considerar que com este novo Regulamento se impede a generalização de níveis excessivos nas taxas aplicáveis e se promove a criação de um verdadeiro mercado de pagamentos à escala europeia ao fixar uma taxa de intercâmbio máxima em 0,2 % do valor da operação para os cartões de débito e em 0,3 % para os cartões de crédito, quer sejam operações transfronteiriças ou operações nacionais.

Ao estabelecer um sistema de pagamentos eletrónicos seguro, eficiente e competitivo, ganham os consumidores, os comerciantes e as empresas, devendo as poupanças obtidas com este nova regulamentação repercutir-se numa baixa dos preços de venda a retalho.

 
Dados pessoais - Política de privacidade