Voltar ao portal Europarl

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (seleccionado)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
 Index 
 Texto integral 
Debates
Quarta-feira, 7 de Fevereiro de 2018 - Estrasburgo Edição revista

Consequências das crescentes desigualdades socioeconómicas para os cidadãos europeus (debate de atualidade)
MPphoto
 

  Sofia Ribeiro (PPE). – Senhor Presidente, queria começar por me dirigir à colega Maria João Rodrigues e dizer que foi profundamente lamentável a sua referência à presidência do PPE. Em primeiro lugar, porque não está cá também o presidente do seu grupo político; em segundo lugar, porque foi um profundo desrespeito para com todos os elementos desta Casa.

Se no grupo socialista há a consideração de que só há representatividade na primeira linha deste plenário por parte do PPE, nós estamos aqui todos os deputados da Comissão do Emprego e dos Assuntos Sociais a fazer este debate. E é também profundamente lamentável, Cara Colega, o seu discurso miserabilista. Nós temos que ter políticas europeias que se traduzam numa verdadeira alavanca social. Nós temos que ter políticas europeias para que se possa garantir o crescimento económico e o combate às desigualdades, para que se possa alavancar toda uma sociedade com políticas proporcionadas e diferenciadas.

Isto implica uma maior atenção à classe média e a classe média no nosso país tem ordenados baixos, muito próximos do ordenado mínimo, mas paga impostos, paga contribuições, não tem os mesmos apoios no acesso à educação dos seus filhos, não tem os mesmos apoios na Segurança Social, não tem os mesmos apoios no acesso à saúde. É uma classe que, em termos líquidos, está a ganhar muito abaixo dos mínimos e nós não podemos ter um discurso miserabilista que esqueça a classe média porque a Europa que eu defendo é uma Europa de igualdade de oportunidades, não é exclusiva de uma outra classe, tem que ter políticas diferenciadas aplicáveis a todos, para que possamos prosseguir o sonho europeu.

 
Última actualização: 8 de Abril de 2019Advertência jurídica