Voltar ao portal Europarl

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (seleccionado)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
 Index 
 Texto integral 
Debates
Quarta-feira, 13 de Março de 2019 - Estrasburgo Edição revista

Semestre Europeu para a coordenação da política económica: Análise Anual do Crescimento para 2019 - Semestre Europeu para a coordenação das políticas económicas: Aspetos sociais e relativos ao emprego na Análise Anual do Crescimento para 2019 (debate)
MPphoto
 

  Pedro Silva Pereira (S&D). – Senhora Presidente, caros Colegas, a discussão neste Parlamento sobre as orientações da política económica e orçamental é sempre um momento importante do chamado Semestre Europeu, mas é-o ainda mais no atual contexto dos enormes riscos e incertezas e de abrandamento do crescimento económico.

A versão final do relatório que vamos votar esta tarde é, felizmente, bastante diferente da versão inicial. Muitas das propostas apresentadas pelo meu grupo foram acolhidas e, por isso, é com satisfação que posso dizer que a versão final deste relatório terá o voto favorável do grupo socialista.

Agradeço, pois, ao relator, o nosso colega Tom Vandenkendelaere, pela excelente colaboração que mantivemos e que permitiu chegar a este bom resultado.

A mensagem principal deste Parlamento é que a política económica e orçamental europeia precisa de dar um passo em frente para responder ao abrandamento da economia. Precisamos de uma ação concertada para um crescimento mais sustentável e mais inclusivo, precisamos de superar o défice de investimento público e privado e precisamos de garantir que os Estados-Membros com excedentes orçamentais fazem mais pelo crescimento da economia europeia aumentando os salários e o investimento. A responsabilidade na gestão das contas públicas continua evidentemente a ser necessária, mas tem de ser compatível com o investimento para a criação de emprego, com o combate às desigualdades, com a promoção da convergência, com a inclusão social, com a transição energética, com o combate às alterações climáticas, com os objetivos de desenvolvimento sustentável.

É dessa outra visão sobre as políticas de investimento e sobre a ideia de reformas estruturais que precisamos para tornar efetivo o pilar europeu de direitos sociais. São estas as peças fundamentais da estratégia económica e orçamental de que a Europa precisa e por isso votaremos a favor deste relatório.

 
Última actualização: 26 de Junho de 2019Advertência jurídica