Voltar ao portal Europarl

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (seleccionado)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
 Index 
 Texto integral 
Debates
Quinta-feira, 14 de Março de 2019 - Estrasburgo Edição provisória

Normas relativas ao bem-estar animal na aquicultura (debate)
MPphoto
 

  Ana Miranda (Verts/ALE). – Senhor Presidente, no meu país, o peixe é mais que um alimento, é um símbolo nacional. Por isso, eu estou muito preocupada com esta questão porque um dos problemas de fundo é que a Europa tem que decidir entre que modelos de pesca quer, seja pesca sustentável ou aquacultura intensiva ou extensiva.

Eu sou a favor da aquacultura extensiva porque as instalações na aquacultura intensiva não cumprem muitas vezes condições adequadas para ter peixes saudáveis. Pela produtividade, fomentam-se modelos de aquicultura intensiva que usam antibióticos e hormonas que stressam os peixes. O abate dos peixes faz-se com rapidez para obter benefícios e esses benefícios estão muitas vezes concentrados em poucas mãos, ao contrário da aquacultura extensiva, Senhor Comissário, que é a apanha de marisco ou as instalações de aquicultura de pequena escala, que dão, além disso, muito trabalho.

Entre os dois modelos, creio também que a Comissão deveria, nos futuros fundos europeus, no futuro Fundo Europeu Marítimo de Pesca, lutar pelo bem-estar animal dos peixes, mas também proteger um outro modelo de aquicultura extensiva alternativo a este modelo stressante, a este modelo que usa antibióticos, a este modelo que faz este tipo de abate dos peixes e que provoca perguntas como estas.

 
Última actualização: 7 de Junho de 2019Advertência jurídica