Voltar ao portal Europarl

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (seleccionado)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
 Index 
 Texto integral 
Debates
Terça-feira, 16 de Abril de 2019 - Estrasburgo Edição provisória

Situação em Moçambique, no Maláui e no Zimbabué após o ciclone Idai (debate)
MPphoto
 

  José Manuel Fernandes (PPE). – Senhora Presidente, em primeiro lugar, uma palavra para as famílias das vítimas, uma palavra de amizade também para todas as populações afetadas e sobretudo para o povo moçambicano.

Em boa hora reforçamos o novo mecanismo de proteção civil, mas fica claro que é preciso ainda um reforço adicional. A União Europeia é solidária internamente e externamente, mas é uma solidariedade que deve ser sempre reforçada, até porque as alterações climáticas e os seus efeitos serão cada vez mais gravosos. E neste momento, apesar da ajuda que foi dada, é necessário um reforço dessa ajuda, mais meios no terreno.

Há mais de um milhão de crianças que estão numa situação dramática e de emergência, o que significa que é preciso uma atuação rápida. E, depois de tudo isto, é ainda necessário que não se esqueça a reconstrução. Também aí a União Europeia tem de dizer presente e tem de reforçar através, por exemplo, da ajuda ao desenvolvimento do Fundo Europeu de Desenvolvimento os montantes para os territórios afetados, e nomeadamente para Moçambique.

 
Última actualização: 9 de Julho de 2019Advertência jurídica