Voltar ao portal Europarl

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (seleccionado)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
 Index 
 Texto integral 
Debates
Quinta-feira, 18 de Abril de 2019 - Estrasburgo Edição revista

China, em particular a situação das minorias religiosas e étnicas
MPphoto
 

  José Inácio Faria (PPE). – Senhor Presidente, Senhora Mogherini, apesar de o Presidente Xi Jinping procurar passar para a opinião pública mundial a imagem de modernizador da China contemporânea, a verdade é, que desde que chegou ao poder, em 2013, se tem deteriorado a situação dos direitos humanos, intensificado a repressão das minorias étnicas que vivem num país de maioria Han.

Face às graves restrições à liberdade de movimento, aos atos de tortura e à discriminação linguística de que são vítimas tibetanos e mongóis, aos sistemas de vigilância em massa que pretendem criar perfis raciais daqueles uigures que ainda escapam às tentativas de limpeza étnica e aos chamados campos de reeducação da Região Autónoma de Xinjiang, apenas para dar alguns exemplos, exige-se que a União alcance uma posição conjunta de condenação destas vastas campanhas de racismo e opressão e que os acordos bilionários assinados entre aquele país e alguns Estados-Membros não façam com que o dinheiro vença o respeito pelos princípios democráticos que estiveram na génese do projeto europeu.

 
Última actualização: 8 de Julho de 2019Advertência jurídica