Voltar ao portal Europarl

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (seleccionado)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
Perguntas Parlamentares
PDF 6kWORD 19k
30 de agosto de 2018
E-004429-18
Pergunta com pedido de resposta escrita E-004429-18
à Comissão
Artigo 130.° do Regimento
Fernando Ruas (PPE)

 Assunto:  Testes de emissões na indústria automóvel
 Resposta escrita 

Um estudo realizado pela Federação Europeia de Transporte e Ambiente (T&E) revelou, recentemente, que a indústria automóvel terá enganado automobilistas europeus, desde 2000, em 149,6 mil milhões de euros.

A diferença entre o desempenho de combustível no teste e em estrada passou de 9 % em 2000 para 42 % em 2016, devido não só à manipulação de testes de laboratório, mas também às novas tecnologias incorporadas, que produzem economias de combustível maiores em laboratório do que em estrada.

Isto acarreta igualmente custos ambientais significativos; desde 2000 foram emitidas mais de 264 milhões de toneladas de CO2 que poderiam ter sido evitadas, assim como um adicional de combustível utilizado no valor de 150 mil milhões de euros, se a diferença se tivesse mantido nos 9 %, sendo os mais lesados os alemães, seguidos dos britânicos, franceses, italianos e espanhóis.

Atentos os princípios de defesa do consumidor e os objetivos ambientais europeus rumo a uma neutralidade hipocarbónica, pergunto à Comissão:

1. Como pensa promover a transparência e a credibilização dos dados das emissões no sector automóvel?
2. Que outras medidas serão tomadas para defender os consumidores, prevenindo e sancionando comportamentos abusivos por parte da indústria automóvel?

Última actualização: 12 de Setembro de 2018Advertência jurídica