Accesso directo à navegação principal (Premir "enter")
Acesso aos conteúdos da página (clicar sobre "Entrar")
Accesso directo a lista de outros sítios Web (Premir "enter")
TST icon
Em destaque :

Economia: o regresso à normalidade - Emprego, crescimento e sustentabilidade

Assuntos económicos e monetários 20-02-2014 - 15:40 / Atualizado em: 20-02-2014 - 15:57
 
 

As eleições europeias de maio vão oferecer aos europeus a oportunidade de mostrar que caminho desejam que a UE siga nos próximos cinco anos em busca de uma recuperação sustentável da economia. Em vésperas das eleições de maio, o Parlamento Europeu organizou um conjunto de conferências dedicadas à economia, às finanças, ao emprego, ao papel da UE no mundo e à qualidade de vida. (Ler mais: Construir um modelo económico e financeiro sustentável para o futuro da Europa)

Quando Alejandro Cercas foi nomeado para elaborar o projeto de relatório sobre o impacto social das políticas da Troika nos países resgatados, o eurodeputado espanhol do S&D pediu a participação das pessoas através do grupo de discussão no LinkedIN. Algumas das alterações aprovadas a 13 de fevereiro, foram o resultado direto das ideias que recebeu, incluindo medidas para conter a subida do número de pessoas sem-abrigo e uma consulta à sociedade civil sobre a reforma do setor da saúde. (Ler mais: Troika: relatório do Parlamento inclui medidas sugeridas pelos cidadãos)

Serão quatro anos de prisão suficientes para dissuadir os banqueiros de manipular os mercados para benefício próprio? O Parlamento Europeu debate e vota esta terça-feira, 4 de fevereiro, novas regras já acordadas com os Estados-Membros para evitar que se repitam casos como o escândalo de Libor, em que instituições financeiras globais manipularam as taxas de juro afetando consumidores e empresas. A eurodeputada britânica do S&D, Arlene McCarthy, respondeu às nossas questões. (Ler mais: Pena de prisão para banqueiros que manipulem os mercados)

O rumo da política económica da UE provocou um debate acalorado entre os eurodeputados, no dia 5 de fevereiro, com parlamentares centro-esquerda a alertar para os efeitos da austeridade no crescimento e os de centro-direita a insistir na continuação da consolidação fiscal e reformas estruturais. Pedimos comentários à relatora da comissão dos assuntos económicos e monetários, Elisa Ferreira (S&D, PT) e ao eurodeputado Jean-Paul Gauzès (PPE, FR) que representou a posição do PPE na mesma comissão. (Ler mais: Confronto de opiniões no PE sobre a política económica durante o debate do Semestre Europeu)

O Parlamento Europeu aprovou hoje novas regras que impõem aos bancos requisitos de capital mais exigentes e limitam os prémios dos banqueiros. A reforma das regras aplicáveis ao setor bancário visa reforçar a estabilidade financeira, tornando o setor mais resistente a futuras crises, e assegurar que o crédito continue a fluir para a economia real. A legislação será aplicável a partir de janeiro de 2014. (Ler mais: Parlamento Europeu impõe novas regras aos bancos e limita prémios dos banqueiros)

Onze Estados-Membros da UE tencionam introduzir um imposto sobre as transações financeiras, destinado a refrear a especulação financeira mais prejudicial e a assegurar que os bancos pagam a parte que lhes compete do custo da crise. Entrevistámos Anni Podimata, a eurodeputada socialista grega responsável pelo relatório sobre a forma de funcionamento do imposto, que será debatido e votado na sessão plenária da próxima semana. (Ler mais: Imposto sobre transações financeiras: “o custo da crise deve ser redistribuído de uma forma mais justa” )

Após a aprovação da criação de um mecanismo único de supervisão dos maiores bancos da zona euro, os eurodeputados concentram-se agora no segundo pilar da futura união bancária: um mecanismo para lidar com bancos em dificuldades. Os eurodeputados pretendem assegurar que os pequenos depositantes estão protegidos e que são os acionistas e os grandes credores os primeiros a sofrer as perdas relacionadas com a falência de um banco. (Ler mais: União Bancária: eurodeputados querem proteger os pequenos depositantes em caso da falência de um banco)

REF. : 20140217TST36225
 
 
Como funciona a Troika?
 

Como funciona a mediadora de resgates da Europa.

 
Parlamento insiste numa supervisão bancária mais eficiente
 

Passos para a supervisão bancária.

 
100000 euros em depósitos
estão garantidos na UE. Os pequenos depositantes não precisam de se preocupar em perder este valor se o seu banco estiver em dificuldades.
(Ler mais)
A troika está a fazer um mau trabalho ao defender medidas de austeridade que atingem os mais fracos” Gianni Pittella (S&D, Itália) em BCE: “Independência sem um controlo democrático é perigosa” (Ler mais)