Partilhar esta página: 

A mitigação das alterações climáticas é uma prioridade da UE. Descubra como os eurodeputados querem melhorar a eficiência energética e a utilização de fontes de energia renováveis.

Acelerar a transição para as energias limpas. ©AP Images/European Union-EP 

Em 2016, a Comissão Europeia apresentou um conjunto de medidas para acelerar a transição para as energias limpas como forma de combater as alterações climáticas, reduzir a dependência da UE de importações de combustíveis fósseis e ajudar os agregados familiares a gerarem a sua própria energia renovável. Na próxima quarta-feira, 17 de janeiro, o Parlamento vota a sua posição sobre três das medidas propostas relacionadas com as energias renováveis, a eficiência energética e o mecanismo de controlo. Após a votação os eurodeputados entrarão em negociações. Acompanhe o debate em plenário esta segunda-feira, 15 de janeiro às 17.00 CET.


Renováveis

A percentagem da energia consumida na UE proveniente de fontes renováveis quase duplicou nos últimos anos (8,5% em 2004 para 16, 7% em 2015) e a UE encontra-se no bom caminho para alcançar o objetivo de 20% em 2020.

Em 2014, os Estados-Membros concordaram que este objetivo deve aumentar para 27% em 2030, mas os eurodeputados defendem pelo menos 35%.

Os eurodeputados querem ainda promover o direito dos cidadãos em produzir, armazenar e consumir a sua própria energia proveniente de fontes renováveis sem terem de pagar qualquer taxa.

Eficiência energética

As melhorias na área da eficiência energética poderiam não só reduzir as emissões de CO2 mas também a fatura anual da UE de importação de energia no valor de 350 mil milhões de euros. É por isso que os eurodeputados querem introduzir um objetivo vinculativo para a redução do consumo de energia em 40% em toda a UE até 2030.

Outra área importante reside na eficiência dos sistemas de aquecimento/refrigeração dos edifícios responsáveis por 40% de toda a energia consumida na UE. Em dezembro de 2017, representantes do Parlamento, do Conselho e da Comissão concordaram que os Estados-Membros devem preparar estratégias nacionais de longo-prazo para apoiar a renovação de edifícios residenciais e não-residenciais. Cerca de 75%  dos edificios existentes não são eficientes do ponto de vista energético.


Para além disto, no último ano o Parlamento Europeu simplificou a rotulagem energética de eletrodomésticos, como máquina de lavar, televisores e aspiradores, para promover escolhas informadas e a poupança de energia.

Os eurodeputados também se encontram a trabalhar na criação de um mecanismo que monitorize o progresso na área da eficiência energética e das energias renováveis.

Mantenha-se atualizado consultando a nossa seleção de artigos sobre o tema.

Energia limpa