Energias limpas: UE promove energias renováveis e eficiência energética 

 
 

Partilhar esta página: 

A mitigação das alterações climáticas é uma prioridade da UE. Descubra como os eurodeputados querem melhorar a eficiência energética e a utilização de fontes de energia renováveis.

Acelerar a transição para as energias limpas. ©AP Images/European Union-EP 

Em 2016, a Comissão Europeia apresentou um conjunto de medidas para acelerar a transição para as energias limpas como forma de combater as alterações climáticas, reduzir a dependência da UE de importações de combustíveis fósseis e ajudar os agregados familiares a gerarem a sua própria energia renovável.

O pacote legislativo é composto por três propostas: uma dedicada às renováveis, outra dedicada à eficiência energética e uma terceira a um mecanismo de controlo do progresso realizado.

Em junho de 2018, os negociadores do Parlamento e do Conselho chegaram a um acordo sobre a legislação final.

Renováveis

A percentagem da energia consumida na UE proveniente de fontes renováveis quase duplicou nos últimos anos (8,5% em 2004 para 16, 7% em 2015) e a UE encontra-se no bom caminho para alcançar o objetivo de 20% em 2020.

Em 2014, os Estados-Membros concordaram que este objetivo deve aumentar para 27% em 2030, mas os eurodeputados defendem uma redução no consumo de energia de pelo menos 32%.

Os eurodeputados querem ainda promover o direito dos cidadãos em produzir, armazenar e consumir a sua própria energia proveniente de fontes renováveis sem terem de pagar qualquer taxa.

Saiba mais a percentagem da energia proveniente de fontes renováveis em cada Estado-Membro.

Eficiência energética

As melhorias na área da eficiência energética poderiam não só reduzir as emissões de CO2 mas também a fatura anual da UE de importação de energia no valor de 350 mil milhões de euros. É por esse motivo que os legisladores da UE concordaram em estabelecer uma meta vinculativa para reduzir o consumo de energia na UE em 32,5% até 2030.

Outra área importante reside na eficiência dos sistemas de aquecimento/refrigeração dos edifícios responsáveis por 40% de toda a energia consumida na UE. Em abril de 2018, o Parlamento Europeu adotou novas regras sobre a eficiência energética dos edificios. De acordo com as regras, os Estados-Membros devem preparar estratégias nacionais de longo-prazo para apoiar a a renovação de edifícios residenciais e não-residenciais. Cerca de 75%  dos edificios existentes não são eficientes do ponto de vista energético.

Descubra o impacto destas novas regras.

Para além disto, no último ano o Parlamento Europeu simplificou a rotulagem energética de eletrodomésticos, como máquina de lavar, televisores e aspiradores, para promover escolhas informadas e a poupança de energia.

Mecanismo de controlo

Os eurodeputados também chegaram a um acordo sobre a criação dum mecanismo que monitorize o progresso na área da eficiência energética e das energias renováveis relativamente aos objetivos para 2030.

Para entrar em vigor, a proposta acordada entre os negociadores do Parlamento e do Conselho deve ser avalada pelos eurodeputados (previsto para a sessão plenária em outubro) e pelos membros do Conselho.

Mantenha-se atualizado consultando a nossa seleção de artigos sobre o tema.