Partilhar esta página: 

Entrevista com Lene Cecilia Sparrok, protagonista do filme “Sámi blood”, vencedor da edição de 2017 do Prémio de Cinema LUX do Parlamento Europeu.

Se tivesse nascido como rapariga numa família da comunidade sami no norte da Suécia nos anos 30 do século XX provavelmente acabaria por estudar numa escola especial na comunidade e não teria acesso à mesma educação dos restantes suecos.


“Não quero ser um animal na reserva,” afirma Elle Marja no filme quando decide deixar a sua família para estudar para professora em Uppsala, enfrentado preconceitos e discriminação institucionalizada.


“Só a ideia de deixar a sociedade sami, de deixar a minha irmã mais nova, pessoalmente nunca seria capaz de o fazer. Eu nunca seria capaz de abandonar as tradições sami,” afirmou a atriz Lene Cecilia Sparrok sobre a dificuldade da escolha que a sua personagem teve de fazer para se integrar na sociedade dominante.


Ao receber o Prémio LUX em plenário, Lene Cecilia Sparrok sublinhou ainda a importância do filme para a comunidade indígena sami. “Receber este prémio é como uma compensação para a gerações mais velhas que foram tratadas como inferiores, menos valiosas, menos inteligentes", afirmou.


Lene Cecilia Sparrok (Elle Marja no filme) e a sua irmã Mia Erika Sparrok (Njenna no filme) estiveram em Estrasburgo para participar na cerimónia a 14 de novembro, onde foi anunciado o vencedor do Prémio LUX.


Sami blood é o primeiro filme da realizadora Amanda Kernell.

"Sámi Blood" é uma coprodução entre a Suécia, a Noruega e a Dinamarca, 

Apoiando o cinema europeu


“O Prémio LUX está na vanguarda da promoção dos nossos valores fundamentais como a tolerância, a solidariedade e a proteção da diversidade e, ao mesmo tempo, da promoção da cidadania europeia e o direito da liberdade de expressão. O Prémio LUX é ainda um forte símbolo da defesa da identidade e cultura europeias”, afirmou o presidente do PE em plenário antes de atribuir o galardão ao filme Sámi Blood.


Nos últimos onze anos o Prémio Lux apoiou a promoção de mais de cem filmes europeus através do financiamento da legendagem nas 24 línguas oficiais da UE dos três filmes finalistas e da sua exibição em dezenas de cidades europeias. Os filmes vencedores também recebem uma versão especial para pessoas com incapacidades visuais ou auditivas e financiamento para serem promovidos além-fronteiras.

Vote no seu filme favorito

O filme vencedor foi escolhido pelos eurodeputados do Parlamento Europeu, mas os espectadores também podem votar no seu filme favorito na página oficial do Prémio LUX e aproveitar a oportunidade para ganhar uma viagem até ao festival de cinema de Karlovy Vary em 2018 onde será anunciado o vencedor do público.