Partilhar esta página: 

Artigos 

Comunicado de imprensa 

Os cidadãos da Ucrânia vão ficar isentos da obrigação de visto para estadas de curta duração na UE, de acordo com um regulamento hoje aprovado pelo Parlamento Europeu. A isenção aplica-se aos ucranianos que sejam titulares de passaportes biométricos e que viajem para a UE por um período máximo de 90 dias por cada período de 180 dias para, por exemplo, visitar familiares, em turismo ou negócios. Estas regras deverão ser aplicáveis a partir de junho.

Ivanna Klympush-Tsintsadze discursa ladeada de eurdeputados na sala da comissão        

Bombardeamentos e temperaturas de 20°C negativos sem eletricidade ou aquecimento... Os habitantes da cidade de Avdiivka na Ucrânia estão no centro de uma crise humanitária, desde que os rebeldes pró-russos quebraram o cessar-fogo e reiniciaram os bombardeamentos na semana passada. Num contexto de incerteza face à política de relações externas dos EUA, os eurodeputados da subcomissão da segurança e defesa debateram, esta segunda-feira, a influência da Rússia na Ucrânia e no Cáucaso Meridional.

Artigos 

Explore a nossa cronologia interativa.        

Apenas dois anos após os protestos conhecidos por Euromaidan, que levaram à destituição do Presidente Viktor Yanukovich, a Ucrânia ainda se continua a ser uma região de contrastes entre a paz e a guerra, a corrupção e as reformas. A entrada em vigor da zona de comércio livre entre a UE e a Ucrânia a 1 de janeiro de 2016 foi um marco das relações entre as duas entidades. A nossa cronologia traça os principais eventos dois últimos dois anos, da anexação da Crimeia ao acordo de paz Minsk II.

Interview with Pat Cox        

"As necessidades da Ucrânia não diminuíram, o peso e a urgência de outros acontecimentos é que desviaram a atenção da opinião pública", afirma o antigo presidente do Parlamento Europeu Pat Cox antes da “Semana da Ucrânia”, um evento que vai reunir eurodeputados e deputados ucranianos no Parlamento Europeu entre 29 de fevereiro e 2 de março. O evento ocorre na sequência da assinatura do memorando de entendimento entre o Parlamento Europeu e o Parlamento da Ucrânia em julho de 2015.

Vídeo sobre a Semana da Ucrânia.
       

"O nosso parlamento deveria transformar-se numa instituição democrática, legislativa e europeia", afirmou o presidente do parlamento ucraniano, Volodymyr Groysman, numa conferência de três dias que decorreu esta semana no Parlamento Europeu (PE), em Bruxelas. Em cima da mesa estiveram questões relacionadas com a boa prática parlamentar, supervisão e legislação. Os deputados abordaram ainda algumas sugestões para melhorar o processo legislativo no parlamento ucraniano.

Artigos 

Men push a cart over the destroyed Putilovka bridge near Donetsk airport on March 21, 2015.        
Comunicado de imprensa 

Comunicado de imprensa 

O Parlamento Europeu aprovou hoje a proposta da Comissão de conceder 1,8 mil milhões de euros adicionais em assistência macrofinanceira à Ucrânia, sob a forma de empréstimos a médio prazo. A assistência da UE visa ajudar o país a cobrir parte das suas necessidades de financiamento externo em 2015 e no início de 2016, no contexto do programa do FMI.

sala de reuniões com membros do governo ucraniano e deputados do Parlamento Europeu.        

A Ucrânia deve formar um novo governo rapidamente e iniciar as reformas necessárias, defenderam os eurodeputados aos líderes do país após as eleições que decorreram este domingo, 26 de outubro, e que foram ganhas por partidos pró-europeus. Uma delegação de observadores do Parlamento Europeu esteve presente no terreno para garantir que as eleições decorriam de forma justa e transparente.

Gabrielius Landsbergis.        

O Parlamento Europeu debateu, esta terça-feira, 9 de junho, em plenário um relatório sobre o estado das relações entre a União Europeia e a Rússia. Falámos o responsável do relatório, Gabrielius Landsbergis, sobre a recente proibição de entrada de políticos e representantes da UE na Rússia e o impacto das sanções. O relatório é votado em plenário esta quarta-feira, 10 de junho.

European Parliament ratifies EU-Ukraine Association Agreement        
Comunicado de imprensa 

Comunicado de imprensa 

O Parlamento Europeu deu hoje luz verde ao Acordo de Associação entre a União Europeia e a Ucrânia, que visa aprofundar as relações políticas, económicas e comerciais entre as partes, incluindo a criação de uma Zona de Comércio Livre Abrangente e Aprofundada. O acordo foi ratificado ao mesmo tempo pelo parlamento ucraniano, em Kiev.

Artigos 

aplauso em sessão plenária        

Foi um momento simbólico: o Parlamento Europeu e o parlamento ucraniano aprovaram em simultâneo, esta terça-feira, em Estrasburgo e em Kiev, o Acordo de Associação entre a UE e a Ucrânia para reforçar as relações bilaterais. Foi a primeira vez que o Parlamento Europeu realizou uma votação em simultâneo. O acordo foi aprovado num período de conflito na Ucrânia e de sanções comerciais entre a Rússia e a UE.

The silhouette of a Ukrainian soldier is seen against a Ukrainian flag        
Comunicado de imprensa 

Comunicado de imprensa 

Numa resolução hoje aprovada em plenário sobre a situação na Ucrânia e o estado das relações entre a UE e a Rússia, os eurodeputados instam as partes a envidarem todos os esforços para uma aplicação integral e de boa-fé do acordo de cessar-fogo de Minsk, com vista a abrir caminho para o início de um verdadeiro processo de paz. Os eurodeputados exortam a Rússia a retirar imediatamente todos os meios militares e todas as suas forças da Ucrânia para acabar com a "guerra híbrida".

Martin Schulz em Kiev        

“Não podemos ficar a assistir passivamente quando se violam os princípios fundamentais da comunidade internacional”, afirmou o Presidente do Parlamento Europeu Martin Schulz durante a sua visita a Kiev esta sexta-feira. “Acordámos regras que os Estados devem seguir quando se relacionam entre si. Estas regras aplicam-se a todos”, acrescentou. Durante a visita de dois dias, Schulz reuniu-se com o Primeiro-Ministro Arseniy Petrovych Yatsenyuk e com o Presidente da Ucrânia Petro Poroshenko.

Othmar Karas        

Os Estados-Membros relançaram as negociações de paz com a Rússia e a Ucrânia para evitar o agravamento da situação. Na segunda-feira, a Comissão dos Assuntos Externos do Parlamento Europeu debateu a questão com Alexey Pushkov, presidente da Comissão dos Assuntos Externos da Duma. Após a reunião falámos com Othmar Karas, eurodeputado austríaco do PPE e presidente da Delegação à Comissão Parlamentar de Cooperação UE-Rússia.

da esquerda para a direita Comissário FÜLE, Europedepuados J. SALAFRANCA, H. SWOBODA, G. VERHOFSTADT, R. HARMS, R. Czarnecki, H. SCHOLZ, J. KURSKI, A. SEVERIN) - ©European Union 2014 - EP        

Os acontecimentos dramáticos na Ucrânia que causaram a morte a mais de 80 pessoas e que derrubaram o Presidente Yanukovich mudaram o país e a União Europeia devia apoiar a democracia, defenderam eurodeputados de todos os setores políticos durante o debate em sessão plenária a 26 de fevereiro. Os eurodeputados expressaram o seu respeito pela coragem do povo ucraniano e sublinharam que deve ser ele a determinar livremente o futuro do seu país.

Várias imagens de Pawel Kowal        

Há quatro meses que a situação na Ucrânia faz as parangonas dos jornais. As manifestações em massa deram lugar a protestos violentos e à anexação da península da Crimeia pela Rússia. Paweł Kowal, presidente da Delegação à Comissão Parlamentar de Cooperação UE-Ucrânia, sente que “a UE deveria ter reagido muito mais cedo”. O eurodeputado polaco do ECR conversou com os fãs da página do Parlamento Europeu no Facebook sobre o tema esta quarta-feira, 9 de abril.

©Belga/AFP/V.Drachev        
Comunicado de imprensa 

Comunicado de imprensa 

O Parlamento Europeu condenou hoje "o ato de agressão russo ao invadir a Crimeia", que constitui uma parte indissociável da Ucrânia, e apelou à "retirada imediata de todas as forças militares ilegalmente presentes em território ucraniano". Estes atos "violam claramente" a Carta das Nações Unidas e outras normas internacionais e "representam uma ameaça para a segurança da UE", dizem os eurodeputados.

Da esquerda para a direita: Comissário Štefan FÜLE , José Ignacio SALAFRANCA SÁNCHEZ-NEYRA (PPE), Libor ROUČEK (S&D), Graham WATSON(ALDE), Rebecca HARMS (Verts/LIBE), Ryszard Antoni LEGUTKO (ECR), Helmut SCHOLZ (GUE/NGL), Zbigniew ZIOBRO (EFD), Adrian SEVERIN (NI)        

A União Europeia não deve abandonar os ucranianos que protestam contra a decisão do seu governo em adiar o estreitamento dos laços com a Europa, de acordo com posição expressa pela maioria dos eurodeputados durante um debate sobre a situação no país, esta terça-feira. No entanto, alguns eurodeputados consideram que a decisão da Ucrânia em não assinar o acordo de associação expressa o fracasso da política externa da UE e a vitória da Rússia.

Bandeira ucraniana        

O que fazer para resolver a crise na Ucrânia? Há dias que líderes políticos de toda a Europa e do mundo debatem a melhor forma de lidar com a Rússia e impedir uma eventual escalada da situação. O presidente da delegação à comissão parlamentar de cooperação UE-Rússia, o eurodeputado alemão do S&D, Knut Fleckenstein e o presidente da delegação à Comissão Parlamentar de Cooperação UE-Ucrânia, eurodeputado polaco do ECR, Paweł Kowal explicam-nos as alternativas.

Clique no mapa para saber mais sobre os 16 países que fazem parte da Política Europeia de Vizinhança.        

É importante manter boas relações com os vizinhos, relações baseadas em interesses mútuos e valores partilhados. A União Europeia oferece aos seus vizinhos uma relação privilegiada em troca de reformas políticas e económicas, nas quais se inclui o respeito pela democracia e pelos direitos humanos. Clique no mapa para saber mais sobre os 16 países que fazem parte da Política Europeia de Vizinhança.

Pawel Kowal no escritório        

A cimeira de Vilnius sobre a Parceira Oriental poderá tornar-se um marco nas relações entre a UE e a Ucrânia, se ambas as partes assinarem o Acordo de Associação. O presidente da delegação à Comissão Parlamentar de Cooperação UE-Ucrânia, Paweł Kowal, respondeu a algumas questões, em vésperas da apresentação do relatório sobre o caso Timoshenko em Conferência de Presidentes pelos enviados do Parlamento Europeu Pat Cox e Aleksander Kwasniewski.

infografia        

Os líderes da UE reúnem-se, esta quinta e sexta-feira, com os seus homólogos dos países da Parceria Oriental em Vilnius. Apesar da decisão do governo de Kiev em adiar a assinatura do Acordo de Associação, outros dois países deverão iniciar importantes acordos, derrubando barreiras e aproximando-os da UE. Espreite a infografia e descubra o que está em causa.