Partilhar esta página: 

Artigos 

Com dois grandes pilares cimentados, para garantir os bancos e salvaguardar os contribuintes de pagarem as falências da Banca, chegaram os MPE a acordo sobre o terceiro e último pilar?
       

A Europa tem dado passos importantes em prol da construção de uma União Bancária, porém é necessário criar um sistema único de garantia de depósitos, para que o projeto fique concluído, afirmou o eurodeputado Roberto Gualtieri (S&D). Esta questão será discutida e votada pelos eurodeputados esta quinta-feira, dia 10 de março.

Artigos 

Euro notes and coins sit on a table © BELGA_DPA_D.Reinhardt        
Comunicado de imprensa 

Comunicado de imprensa 

O Parlamento Europeu aprovou hoje três textos legislativos que visam garantir que os contribuintes não tenham de pagar pelo colapso dos bancos, mas sim os acionistas e credores, criar um instrumento de resgate interno ("bail in") e proteger os depósitos abaixo dos 100 mil euros. Elisa Ferreira liderou a equipa de negociação do PE sobre o mecanismo único de resolução dos bancos. As novas regras complementam o sistema único de supervisão e são um passo em frente rumo à união bancária.

Trabalhador carrega o painel com o nome de um banco        

Para evitar que os contribuintes paguem os erros dos bancos e para que o sistema financeiro europeu esteja seguro é necessário um sistema mais ágil e eficaz para gerir os bancos em dificuldades. Este foi sempre o objetivo do Parlamento nas negociações com os Estados-Membros para a criação de uma união bancária. Na terça-feira, os eurodeputados debatem e votam outro pilar da união bancária chegado a acordo em março: o sistema de resolução bancária.

A infografia oferece-lhe mais informação sobre as medidas adotadas pela UE para evitar uma futura crise bancária.        

Encontrar o caminho para sair da crise financeira é o tema abordado por especialistas e cidadãos na última conferência ReACT, a 20 de fevereiro, em Madrid. No entanto, a saída da crise depende de também de um sistema financeiro saudável. O Parlamento Europeu pediu uma reforma profunda da legislação bancária, através de medidas para evitar o risco, reforçar a supervisão bancária ao nível da UE e proteger as poupanças se o seu banco enfrentar dificuldades. Saiba mais com a nossa infografia.

©Belga/DPA/AFP/B.Roessler        
Comunicado de imprensa 

Comunicado de imprensa 

O Parlamento Europeu aprovou hoje o mecanismo único de supervisão bancária, que coloca sob a supervisão direta do Banco Central Europeu (BCE) cerca de 150 dos maiores bancos da zona euro a partir de setembro de 2014. Os eurodeputados reforçaram as regras de transparência e responsabilização do BCE e incumbiram a Autoridade Bancária Europeia de desenvolver práticas de supervisão que deverão ser seguidas pelos supervisores nacionais.

Pessoa numa fila em frente a um multibanco de um banco fechado ©Belga/Zumapress/A.Vafeiadakis        

Os depósitos abaixo dos 100 000 euros não podem ser utilizados para resgatar bancos em risco de falência, defenderam os eurodeputados da comissão dos assuntos económicos e monetários do Parlamento Europeu, esta segunda-feira. De acordo com o relatório aprovado, devem ser os accionistas, os titulares de obrigações ou, em último caso, os grandes depositantes, a enfrentar as perdas.

A magnifying glass over a stack of euro bills        
Comunicado de imprensa 

Comunicado de imprensa 

O Parlamento Europeu aprovou hoje novas regras que impõem aos bancos requisitos de capital mais exigentes e limitam os prémios dos banqueiros. A reforma das regras aplicáveis ao setor bancário visa reforçar a estabilidade financeira, tornando o setor mais resistente a futuras crises, e assegurar que o crédito continue a fluir para a economia real. A legislação será aplicável a partir de janeiro de 2014.