Finalistas do Prémio Sakharov 2017: Aura Lolita Chavez Ixcaquic, Oposição Democrática na Venezuela e Dawit Isaak  

 
 

Partilhar esta página: 

Aura Lolita Chavez Ixcaquic, a Oposição Democrática na Venezuela e o jornalista Dawit Isaak selecionados finalistas ao Prémio Sakharov 2017. Laureado anunciado a 26 de outubro.

Esq-Dta: Aura Lolita Chavez Ixcaquic, Oposição Democrática na Venezuela e Dawit Isaak. 

A ativista Aura Lolita Chavez Ixcaquic, a Oposição Democrática na Venezuela e o jornalista Dawit Isaak são os três finalistas do Prémio Sakharov para a Liberdade de Pensamento 2017, após a votação das Comissões dos Assuntos Externos e do Desenvolvimento a 10 de outubro.

Os finalistas:

Aura Lolita Chavez Ixcaquic (Guatemala)

Aura Lolita Chavez Ixcaquic é uma defensora dos direitos humanos na Guatemala. É membro do Conselho dos Povos Ki’che’ (CPK), uma organização que luta pela proteção dos recursos naturais e direitos humanos face à expansão de projetos dos setores mineiro, madeireiro, hidroelétrico e agroindustrial no território.

A Oposição Democrática na Venezuela

A Oposição Democrática na Venezuela: a Assembleia Nacional (Julio Borges) e todos os prisioneiros políticos de acordo com a lista do Foro Penal Venezolano representados por Leopoldo López, Antonio Ledezma, Daniel Ceballos, Yon Goicoechea, Lorent Saleh, Alfredo Ramos e Andrea González. A oposição democrática na Venezuela, representada pela Mesa da Unidade Democrática e pelos prisioneiros políticos já tinha finalista ao Prémio Sakharov em 2015.

Dawit Isaak (Suécia-Eritreia)

O jornalista, escritor e dramaturgo, com nacionalidade sueca e eritreia, foi detido em 2001 pelas autoridades eritreias no âmbito de um movimento da repressão política. Dawit Isaak encontra-se detido sem julgamento desde essa altura e foi visto pela última vez em 2005. Dawit Isaak também já tinha sido finalista na edição do Prémio Sakharov 2009.

Próximos passos

A 26 de outubro, o Presidente do Parlamento Europeu e os líderes dos grupos políticos selecionam o laureado, que irá receber um certificado e um prémio monetário no valor de 50 000 euros. A cerimónia de entrega do prémio decorre a 13 de dezembro no Parlamento Europeu em Estrasburgo.

O Prémio Sakharov

O "Prémio Sakharov para a Liberdade de Pensamento" é atribuído todos os anos pelo Parlamento Europeu. Criado em 1988, recompensa personalidades ou entidades que se esforçam por defender os direitos humanos e as liberdades fundamentais. No ano passado, o prémio foi atribuído às ativistas yazidis Nadia Murad e Lamiya Aji Bashar.

Infografia: passo-a-passo