Europol: ajudar os Estados-Membros no combate à criminalidade internacional 

 
 

Partilhar esta página: 

O Serviço Europeu de Policia pretende reforçar a cooperação entre os Estados-Membros na prevenção e no combate à criminalidade internacional grave. ©AP Images/ European Union-EP  

As organizações criminosas e terroristas são uma ameaça comum a todos os Estados-Membros, que podem contar com o apoio do Serviço Europeu de Polícia (Europol). Com a evolução das ameaças os governos da UE chegaram a acordo para melhorar as capacidades da Europol na luta contra o terrorismo A Comissão das Liberdades Cívicas vota os novos poderes da Europol esta segunda-feira, 30 de novembro.

O Serviço Europeu de Policia pretende reforçar a cooperação entre os Estados-Membros na prevenção e no combate à criminalidade internacional grave. Também trabalha em estreita colaboração com outros países como os EUA, o Canadá, a Austrália e a Noruega.


A Europol investiga diversos tipos de criminalidade internacional: tráfico de droga, tráfico de seres humanos, pornografia infantil, roubos de automóveis internacionais, crimes informáticos, lavagem de dinheiro ou falsificação de euros.


Cooperação e especialização

 

Parte dos colaboradores da Europol são oriundos de autoridades dos Estados-Membros como a polícia, polícias de fronteira, alfândega e serviços de segurança. Os agentes da Europol não têm poderes para efetuar detenções ou investigações nos Estados-Membros. A Europol ajuda as autoridades nacionais através do intercâmbio e análise de informação, avaliação das ameaças e formação.


Os Estados-Membros dependem deste apoio para realizar mais de 18 000 investigações transnacionais todos os anos. A Europol também possui bases de dados e canais de comunicação "da última geração que permitem armazenar, pesquisar, visualizar e interligar informação. Este verão, por exemplo, foi anunciado que uma equipa de polícias de toda a Europa, coordenada pela Europol, estaria a tentar detetar e desmantelar a presença do ISIS nas redes sociais, um dos maiores instrumentos de recrutamento e de radicalização.


A agência


O Serviço Europeu de Polícia (Europol) é uma agência europeia com amplos poderes desde 2010, embora tenha sido criada nos anos 90. Tem mais de 900 colaboradores e tem a sede em Haia (Países Baixos).