Conferência da ONU sobre as alterações climáticas: “Será uma semana dura, mas temos que apresentar resultados” 

 
 

Partilhar esta página: 

Entrevista com Matthias Groote. 

A conferência das Nações Unidas sobre as alterações climáticas terá lugar em Varsóvia, de 11 a 22 de novembro. Vai focar-se nas negociações para ajudar os países a adaptarem-se e a preparar a conferência de 2015 em Paris, onde será desenhado um novo acordo internacional aplicável a todos os países após 2020. O eurodeputado alemão Matthias Groote (S&D), chefe da delegação do Parlamento Europeu, explica-nos os objetivos e as expetativas.

Qual é o principal objetivo da delegação?

Enquanto delegação do Parlamento Europeu, a nossa função é manter o debate com o maior número possível de equipas (ONGs, delegações). Já temos um acordo de corta as emissões dos automóveis e outro para cortar as emissões até 2020 cerca de 20 % relativamente aos níveis de 1990. Esta é uma mensagem que podemos vender. Queremos compromissos reais de todas as regiões do mundo. Queremos seguir em frente agora e não em 2018 ou 2020. Temos ter em mente Paris 2015 e temos que exigir compromissos vinculativos, também dos países em vias de desenvolvimento. Precisamos de mais apoio financeiro dos países desenvolvidos.


Com que resultados ficaria satisfeito?

A conferência em Varsóvia serve como preparação para Paris, onde teremos que decidir novas medidas e quotas para o período pós-2020. Esperamos que existam promessas e compromissos claros em Varsóvia. Gostaria de ver as maiores economias a comprometerem-se com o Fundo Verde contra as Alterações Climáticas porque corremos o risco de perder a confianças dos países menos desenvolvidos. Será uma semana dura, com muitas discussões até altas horas da manhã, como já é tradição, mas temos que apresentar resultados.