Participação das mulheres nas TIC: desafios e oportunidades (infografia)  

 
 

Partilhar esta página: 

As mulheres continuam a estar sub-representadas e a ganhar menos que os homens no setor das tecnologias da informação (TIC). O Parlamento defende iniciativas para alterar a situação.

Apesar das TIC serem um setor em crescimento, as mulheres continuam sub-representadas. 

O setor das tecnologias da informação e da comunicação oferece postos de trabalho especializados e bem remunerados. É um setor em crescimento responsável pela criação de 120 000 novos postos de trabalho todos os anos e por 4,2 % do produto interno bruto da UE (2014). Estima-se que em 2020 faltem à UE 900 000 profissionais do setor das TIC.

Apesar de ser um setor em crescimento, as mulheres continuam sub-representadas. Em 2016, as mulheres representavam apenas 16,7% dos 8,2 milhões de especialistas em TIC (16,1% em Portugal).

Em 2015, 1,4 milhões de pessoas decidiram seguir estudos na área das tecnologias da informação e comunicação na União Europeia, mas as raparigas representavam apenas 17,2% dos alunos. Em Portugal, apenas 14% dos estudantes das TIC são do sexo feminino.

Portugal encontra-se ligeiramente abaixo da média europeia. 

A participação das mulheres no setor das tecnologias da informação e da comunicação é um dos temas em destaque na comemoração do Dia Internacional da Mulher no Parlamento Europeu.

“Queremos criar uma União, onde todos possam ter a possibilidade de modelar a realidade que nos rodeia, modelar a sociedade e é por isso que é tão importante garantir a participação plena das mulheres no setor digital”, afirmou a eurodeputada Terry Reintke (Verdes/ALE, Alemanha), relatora da resolução do Parlamento Europeu sobre a igualdade de género e a autonomia das mulheres na era digital durante uma entrevista em direto no Facebook.