Tornar as casas mais ecológicas e inteligentes 

 
 

Partilhar esta página: 

Melhorar a eficiência energética dos edifícios reduz o custo do aquecimento e limita as emissões de gases com efeito de estufa. Assista ao vídeo para saber mais.

A partir de 1 de janeiro de 2021, todos os novos edifícios europeus devem usar quantidades muito baixas ou quase nulas de energia para o aquecimento e arrefecimento, assim como para o aquecimento da água quente.

As mesmas regras também introduzem uma certificação energética a atribuir aos edifícios para que os proprietários ou os inquilinos possam comparar e avaliar o seu desempenho energético.  Essas regras fazem parte do esforço da UE para dispormos de energia limpa.

Na sessão plenária de abril, os eurodeputados votam medidas já acordadas com o Conselho para melhorar o desempenho energético dos edificios. As principais alterações à diretiva sobre o desempenho energético dos edifícios são as seguintes:

  • Os Estados-Membros passam a ter de preparar estratégias nacionais a longo-prazo para apoiar a renovação dos edifícios. O objetivo é que até 2050 os edifícios da UE quase não utilizem energia.

  • O uso de tecnologias inteligentes para reduzir o consumo de energia deve ser encorajado.

  • Obrigação de estabelecer pontos de recarregamento para carros elétricos nos estacionamentos dos novos edifícios.

 

“Estamos a proporcionar aos Estados-Membros as ferramentas para tornar os seus apartamentos e as residências mais eficientes, consumindo menos energia no futuro”, explica o relator, Bendt Bendtsen (PPE, Dinamarca).

As ações da UE para dispormos duma energia mais limpa visam também as energias renováveis e a eficiência energética dos dispositivos elétricos.