Projeto polaco sobre campo de prisioneiros da II Guerra Mundial vence o Prémio Carlos Magno para a Juventude  

 
 

Partilhar esta página: 

(Esquerda-Direita): Farah Abdi ("Never Arrive"); Mirko Gragnato e Rozemarijn Tiben ("Juvenilia"); Artur Meier e Tomasz Tomalik "Worcation" 

O Prémio Carlos Magno para a Juventude 2018 foi concedido a um projeto que reúne um grupo de jovens para desvendar a história de Stalag VIII, um campo de prisioneiros da II Guerra Mundial.

Sobre o prémio

O Prémio Carlos Magno para a Juventude é uma iniciativa conjunta do Parlamento Europeu e da Fundação Internacional Prémio Carlos Magno, sendo atribuído anualmente a projetos levados a cabo por jovens entre os 16 e os 30 anos, que promovam o entendimento entre pessoas de diferentes países europeus.

A cerimónia da entrega dos prémios decorreu em Aachen a 8 de maio e contou com a presença de representantes dos 28 projetos vencedores a nível nacional. Os três projetos vencedores receberam 7 500, 5 000 e 2 500 euros para o 1º, 2º e 3º lugar respetivamente.

Vencedores de 2018

1º lugar: Worcation (Polónia)

A Worcation reúne jovens de diferentes países para trabalhar no lugar onde antes estava o Stalag VIII, um campo de prisioneiros alemão da II Guerra Mundial, situado em Görlitz e Zgorzelec, nas margens do rio Neisse. Depois de receber a devida formação, os voluntários trabalham como arqueólogos ou entrevistam as famílias dos antigos prisioneiros.

2º lugar: Juvenilia (Itália)

A Juvenilia pretende aumentar o interesse dos menores de 35 anos pela ópera, pelo ballet e pelo teatro, organizando intercâmbios culturais entre diferentes cidades europeias e negociando os preços das entradas para tornar os eventos mais acessíveis. Os participantes podem entrar nos bastidores e conhecer os artistas, passear pelas cidades e conhecer pessoas com os mesmos interesses que vivem noutros países.

3º lugar: Never Arrive 2 (Malta)

O terceiro prémio foi concedido à refugiada somali e blogger Farah Abdullahi Abdi, que escreveu dois livros sobre as frustrações e as dificuldades sentidas pelos refugiados na Europa. Farah Abdullahi Abdi pretende demonstrar que os refugiados não chegam à Europa para espalhar o caos, mas para abraçar a Europa e que podem contribuir para o seu desenvolvimento. A blogger atravessou a Europa falando com diversos estudantes sobre a sua vida, oferecendo-lhes uma perspetiva diferente daquela que poderiam obter de outras fontes de informação anti-imigração.

O Prémio Carlos Magno 2018 é concedido a Emmanuel Macron

Na quinta-feira, 10 de maio, o Prémio Carlos Magno 2018 foi entregue ao Presidente francês Emmanuel Macron, “pela sua paixão e compromisso com a Europa”.

O Prémio é atribuído anualmente a projectos que promovam o entendimento entre pessoas de diferentes países europeus.