Reduzir as emissões dos carros: as novas metas de CO2 

 
 

Partilhar esta página: 

Os eurodeputados propuseram, a 3 de outubro, limites de CO2 mais rigorosos para os automóveis e um novo objetivo para o lançamento de veículos elétricos.

Os novos objetivos de CO2 englobam automóveis, carrinhas, camiões e a rede urbana de autocarros. 

Por que razão é necessário?
Automóveis e carrinhas produzem cerca de 15% das emissões de dióxido de carbono na União Europeia (UE), contribuindo, assim, para as alterações climáticas. Aliás, os transportes são o único sector em que as emissões de gases com efeito de estufa são atualmente mais elevadas do que em 1990. No dia 18 de abril os eurodeputados aprovaram uma proposta para reduzir as emissões de CO2 dos camiões novos em 30% até 2030, tendo como termo de comparação os níveis de emissões de 2019.

Restrições nos limites de emissões de dióxido de carbono ajudariam a atingir as metas climáticas da UE para 2030 e seriam um aliado à “carteira” dos consumidores no que concerne às despesas com o combustível.


A situação atual
Dados recentes mostram que, após um declínio constante nos últimos anos, as emissões médias provenientes de veículos novos subiram, o ano passado, para 118,5g CO2/km. Sob as regras atuais, um carro novo não deve, em média, emitir mais de 95g/km em 2021.

O número de carros elétricos está a crescer de forma acelerada, porém ainda constituem menos de 1,5% dos novos registos.


Novas metas
A Comissão Europeia propôs reduzir o limite de 2021 em 15% a partir de 2025 e em 30% em 2030.

O Parlamento e o Conselho acordaram um objectivo de redução das emissões de CO2 ainda mais elevado do que o proposto pela Comissão Europeia: um objetivo de redução de 37,5% das emissões de dióxido de carbono para os automóveis novos e de 31% para as carrinhas novas até 2030. As novas regras foram aprovadas pelo Parlamento na sessão plenária de 27 de março de 2019.


Os próximos passos
Uma vez aprovado pelo Conselho, o regulamento é publicado no Jornal Oficial e entra em vigor 20 dias depois.