Estradas mais seguras: novas medidas da UE para reduzir acidentes de viação 

 
 

Partilhar esta página: 

A UE quer melhorar a segurança rodoviária ©AP images/European Union-EP 

O Parlamento vota a 16 de abril novas medidas para melhorar a segurança rodoviária e reduzir os acidentes de viação. As regras tornam obrigatórias novas normas de segurança nos novos carros.

As estradas da UE são as mais seguras do mundo, com uma média de 49 acidentes mortais por milhão de habitantes, contra 174 mortes por milhão globalmente. Os acidentes fatais foram reduzidos para metade nas últimas duas décadas, mas os últimos dados mostram que a diminuição da taxa de mortalidade está estagnada e os futuros esforços são importantes para melhorar a segurança rodoviária e salvar vidas.

Veja a nossa infografia sobre as mortes nas estradas da UE.

As novas regras tornam alguns equipamentos de segurança obrigatórios em novos veículos automóveis que sejam vendidos no mercado da UE. Deverão ser aplicadas a partir de maio de 2022 nos modelos novos e em maio de 2024 nos modelos já existentes. Pretende-se também adaptar a legislação existente e ter em consideração os desenvolvimentos tecnológicos e as tendências sociais, nomeadamente o envelhecimento da população, novas causas de distração para os condutores (especialmente no uso de dispositivos eletrónicos durante a condução) e pretende aumentar o número de ciclistas e peões nas ruas da UE.

A Assistência Inteligente à Velocidade vai proporcionar ao condutor uma resposta baseada em mapas e observação de sinais de trânsito, sempre que o limite de velocidade for ultrapassado. Não introduzimos um limitador de velocidade, mas sim um sistema inteligente que faz com que os condutores fiquem plenamente conscientes de quando estão em excesso de velocidade. Isto é importante não só para a segurança de todos como também para os condutores que evitam multas por excesso de velocidade.

Róża Thun 

PPE (Polónia)

Partilhar esta citação: 

O que vai mudar?

Todos os novos veículos automóveis deverão incluir cerca de trinta tecnologias “salva-vidas”:


  • Assistência de velocidade inteligente para que o condutor perceba que está a exceder o limite de velocidade.
  • Alerta em caso de sonolência do condutor.
  • Alerta de distração avançado
  • Sinal de emergência de travagem em forma de luzes para indicar aos condutores atrás do veículo que o condutor parou repentinamente.
  • Sistema de deteção de inversão para evitar colisão com pessoas e objetos que estejam atrás do veículo, com a ajuda de uma câmara ou de um monitor.
  • Sistema de monitorização da pressão dos pneus e ajuda ao condutor quando houver perda de pressão.
  • Instalação de um mecanismo de bloqueio de álcool permitindo a instalação de dispositivos de bloqueio do álcool pós-venda.
  • Coletor de dados para registar informação importante antes, durante e depois do acidente de viação.

Para os veículos de passageiros e para as carrinhas comerciais pequenas, vai ser também obrigatório ter um sistema de travagem de emergência (já obrigatórios para camiões e autocarros) bem como um sistema de emergência de manutenção de corredores. Às carrinhas e aos carros vai ser solicitado que incluam recursos de visão direta, permitindo ao condutor ver condutores no seu assento e sistemas de alerta que detetam a presença de ciclistas ou peões que estejam perto da viatura.

Os recursos de segurança obrigatórios pode reduzir drasticamente o número de fatalidades nas estradas, considerando que erro humano está na base de 95% dos acidentes rodoviários.


Próximos passos

As regras têm de ser aprovadas pelo Conselho antes que possam entrar em funcionamento.