Partilhar esta página: 

A Coreia do Norte tem violado as suas obrigações internacionais de não produzir ou testar armas nucleares. Como deve a UE responder à situação? Entrevistámos David McAllister.

A União Europeia deve reforçar as suas sanções à Coreia do Norte como resposta ao maior teste nuclear até ao momento de Pyongyang, defendeu o presidente da comissão dos assuntos externos do PE, David McAllister, antes do encontro dos ministros dos negócios estrangeiros da UE que decorre na capital da Estónia, esta quinta-feira.


Para o eurodeputado alemão do PPE, a intensificação das atividades nucleares da Coreia do Norte “é uma provocação e uma enorme ameaça tanto à segurança regional como internacional”.


Apesar das sanções atuais não terem dissuadido a Coreia do Norte de reforçar a sua capacidade nuclear e de armamento misseis, McAllister sublinhou que a diplomacia é a única solução possível. “Por exemplo, se reduzirmos ainda mais o fornecimento de petróleo à Coreia do Norte, terá um grande impacto na economia e por fim no regime da Coreia do Norte”, afirmou.


O presidente da comissão dos assuntos externos apelou ainda à China para exercer a sua influência sobre o regime norte-coreano para evitar a agudização da crise.

David McAllister, presidente da comissão dos assuntos externos. 

Em janeiro de 2016, o Parlamento Europeu já tinha expressado a sua preocupação com a contínua deterioração da situação dos direitos humanos na Coreia do Norte. Os eurodeputados vão debater a situação na península coreana na próxima terça-feira, 12 de setembro, durante a sessão plenária em Estrasburgo.