Voltar ao portal Europarl

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (seleccionado)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
 Index 
 Texto integral 
Debates
Terça-feira, 12 de Junho de 2018 - Estrasburgo Edição provisória

4. Reinício da sessão
Vídeo das intervenções
PV
MPphoto
 

  Marisa Matias (GUE/NGL ). – Senhor Presidente, é apenas para fazer um apelo. Eu creio que é uma vergonha para esta instituição, que é a casa da democracia, ter intérpretes a trabalhar sob sequestro. Foram-lhes impostas condições de trabalho que são draconianas, que não respeitam os seus direitos e nós estamos aqui a trabalhar todos como se nada fosse, com intérpretes requisitados atrás de nós. Defendemos a democracia, o direito à greve e, por isso, peço que o Parlamento medeie esta negociação. Nós não podemos fazer o nosso trabalho sem intérpretes e não podemos ter intérpretes a trabalhar sem direitos.

 
Última actualização: 22 de Junho de 2018Advertência jurídica