Artigo
 

Debate sobre os resultados do Conselho Europeu de 29 e 30 de Outubro

Audições - Instituições - 11-11-2009 - 19:34
Partilhar / Guardar
Fredrik Reinfelt, primeiro-ministro sueco e Presidente em exercício da UE, Parlamento Europeu, Bruxelas, 11 de Novembro de 2009

Fredrik Reinfelt, primeiro-ministro sueco e Presidente em exercício da UE, Parlamento Europeu, Bruxelas, 11 de Novembro de 2009

O debate com o primeiro-ministro sueco, Fredrik Reinfelt, e com o Presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, centrou-se nos novos cargos europeus criados com o Tratado de Lisboa. Que Comissários Europeus e que Alto Representante pretendem os deputados europeus?

Novos postos europeus e nova Comissão Europeia
O primeiro-ministro sueco e Presidente em exercício da UE, Fredrik Reinfeldt, anunciou que a Presidência sueca irá realizar uma Cimeira de Chefes de Estado e de Governo no dia 19 de Novembro, para decidir que individualidades irão desempenhar os novos cargos europeus criados pelo Tratado de Lisboa. Durante a Cimeira "serão nomeados o Presidente do Conselho da União Europeia, o Alto Representante e o Secretário-Geral do Conselho", afirmou Reinfeldt, que adiantou não estar interessado em especular sobre as individualidades a nomear para os cargos.
 
Durão Barroso, Presidente da Comissão Europeia: "Quero uma nova Comissão composta por europeus competentes e empenhados. Também quero uma Comissão com um mandato democrático forte. O Tratado confere-nos a capacidade de agir, mas é necessário que tenhamos vontade de agir em conjunto."
 
Joseph Daul, eurodeputado francês (PPE): "Depois de os Estados-Membros terem designado os seus candidatos aos postos de comissários europeus, (o Presidente da Comissão Europeia) deverá definir com a maior brevidade possível as pastas que lhes serão atribuídas, para que as suas audições pelo Parlamento Europeu sejam tão aprofundadas quanto possível".
 
Hannes Swoboda, eurodeputada austríaca (S&D): "Está preparado para dialogar com os Chefes de Estado de forma a assegurar um equilíbrio geográfico e de género, e está preparado para incluir mulheres fortes na nova Comissão?".
 
Guy Verhofstadt, eurodeputado belga (ADLE): o cargo de Presidente do Conselho da União Europeia "deve ser desempenhado por alguém que acredita na integração europeia e nos métodos comunitários que fazem com que a Europa avance, e não por um eurocéptico."
 
Rebecca Harms, eurodeputada alemã (Verdes/ALE): "Devemos garantir homens e mulheres fortes nos postos de chefia da UE. (...) Senhor Reinfeldt, lamento mas não tenho motivos para o felicitar uma vez que ainda não existem quaisquer sinais de homens ou mulheres fortes".
 
Timothy Kirkhope, eurodeputado britânico (ECR): "O debate degenerou numa discussão entre os Chefes de Governo, que apenas parecem preocupados em partilhar empregos entre si (...) Alguns estão mesmo a tentar dividir a União Europeia em duas classes de cidadãos, ao afirmarem que apenas os indivíduos do acervo Schengen e da Eurozona devem ser elegíveis".
 
Lothar Bisky, eurodeputado alemão (GCEUN/ENV): "Seria uma boa ideia se os Chefes de Estado e de Governo utilizassem a Cimeira para fazer política de uma forma mais prática e concreta. As alterações climáticas são o maior desafio com que o mundo se confronta. Estamos a cerca de um mês da Conferência de Copenhaga e tenho receio de que a UE não seja capaz de adoptar a posição de liderança que afirmou pretender desempenhar".
 
William Dartmouth, eurodeputado britânico (ELD): "O principal problema da Europa não é o reduzido número de missões diplomáticas, mas sim um número demasiado elevado de desempregados."
 
REF.: 20091106STO63903