A política monetária europeia

01-02-2018

O Sistema Europeu de Bancos Centrais (SEBC) é composto pelo BCE e pelos bancos centrais nacionais de todos os Estados-Membros da UE. O objetivo primordial do SEBC é a manutenção da estabilidade dos preços. A fim de atingir o seu objetivo primordial, o Conselho do BCE baseia as suas decisões numa estratégia de política monetária assente em dois pilares e executa-as recorrendo quer a medidas de política monetária convencionais quer não convencionais. Os principais instrumentos da política monetária convencional do BCE são as operações de mercado aberto, as facilidades permanentes e a constituição de reservas mínimas. Em resposta à crise financeira, o BCE alterou também a sua estratégia de comunicação, fornecendo orientações avançadas sobre a evolução futura da política de taxas de juro do BCE, dependentes das perspetivas sobre a estabilidade dos preços, e adotou uma série de medidas de política monetária não convencionais. Estas medidas incluem a compra de ativos e de obrigações soberanas no mercado secundário, a fim de assegurar a estabilidade dos preços e a eficácia do mecanismo de transmissão da política monetária.

O Sistema Europeu de Bancos Centrais (SEBC) é composto pelo BCE e pelos bancos centrais nacionais de todos os Estados-Membros da UE. O objetivo primordial do SEBC é a manutenção da estabilidade dos preços. A fim de atingir o seu objetivo primordial, o Conselho do BCE baseia as suas decisões numa estratégia de política monetária assente em dois pilares e executa-as recorrendo quer a medidas de política monetária convencionais quer não convencionais. Os principais instrumentos da política monetária convencional do BCE são as operações de mercado aberto, as facilidades permanentes e a constituição de reservas mínimas. Em resposta à crise financeira, o BCE alterou também a sua estratégia de comunicação, fornecendo orientações avançadas sobre a evolução futura da política de taxas de juro do BCE, dependentes das perspetivas sobre a estabilidade dos preços, e adotou uma série de medidas de política monetária não convencionais. Estas medidas incluem a compra de ativos e de obrigações soberanas no mercado secundário, a fim de assegurar a estabilidade dos preços e a eficácia do mecanismo de transmissão da política monetária.