Como identificar «notícias falsas»

19-02-2019

As «notícias falsas» (fake news) e a desinformação – informações deliberadamente manipuladas com o objetivo de enganar as pessoas – tornaram-se um fenómeno cada vez mais visível à escala mundial. As redes sociais e as suas ferramentas de personalização tornaram mais fácil a propagação de notícias falsas. Servem-se, muitas vezes, das emoções para captar a atenção e gerar cliques, por razões económicas ou ideológicas. Mesmo os jovens e as pessoas esclarecidas no domínio digital têm dificuldade em identificar notícias manipuladas. É significativo que seis em cada dez notícias partilhadas nas redes sociais não tenham sequer sido lidas pelo utilizador que as partilhou. Cerca de 85 % dos europeus consideram que as «notícias falsas» constituem um problema no seu próprio país e 83 % são de opinião que este fenómeno representa um problema para a democracia em geral. Esta bússola ajuda-o a navegar no oceano da informação e a encontrar o seu caminho num mar de mentiras e de desinformação.

As «notícias falsas» (fake news) e a desinformação – informações deliberadamente manipuladas com o objetivo de enganar as pessoas – tornaram-se um fenómeno cada vez mais visível à escala mundial. As redes sociais e as suas ferramentas de personalização tornaram mais fácil a propagação de notícias falsas. Servem-se, muitas vezes, das emoções para captar a atenção e gerar cliques, por razões económicas ou ideológicas. Mesmo os jovens e as pessoas esclarecidas no domínio digital têm dificuldade em identificar notícias manipuladas. É significativo que seis em cada dez notícias partilhadas nas redes sociais não tenham sequer sido lidas pelo utilizador que as partilhou. Cerca de 85 % dos europeus consideram que as «notícias falsas» constituem um problema no seu próprio país e 83 % são de opinião que este fenómeno representa um problema para a democracia em geral. Esta bússola ajuda-o a navegar no oceano da informação e a encontrar o seu caminho num mar de mentiras e de desinformação.