Index 
 Anterior 
 Seguinte 
 Texto integral 
Processo : 2007/2274(INI)
Ciclo de vida em sessão
Ciclo relativo ao documento : A6-0153/2008

Textos apresentados :

A6-0153/2008

Debates :

PV 07/05/2008 - 15
CRE 07/05/2008 - 15

Votação :

PV 08/05/2008 - 5.7
CRE 08/05/2008 - 5.7
Declarações de voto
Declarações de voto

Textos aprovados :

P6_TA(2008)0193

Debates
Quinta-feira, 8 de Maio de 2008 - Bruxelas Edição JO

5.7. Direitos do Homem no mundo (2007) e política da UE (A6-0153/2008, Marco Cappato) (votação)
PV
  

- Antes da votação da alteração 3:

 
  
MPphoto
 
 

  Hannes Swoboda, e m nome do Grupo PSE. – (DE) Senhora Presidente, em nome do meu grupo parlamentar queria apenas referir o seguinte: pretendemos retirar esta alteração 3. Continuamos a defender a opinião de que infelizmente a não-violência não é suficiente para garantir o respeito dos direitos humanos – limito-me a recordar o Kosovo e o Darfur. Porém, não queremos que se conclua que somos contra o princípio da não-violência. Por esta razão, retiramos esta alteração. Votaremos a favor da alteração apresentada pelo Grupo do Partido Popular Europeu (Democratas-Cristãos) e dos Democratas Europeus e avançaremos nessa base.

 
  
  

- Antes da votação da alteração 7:

 
  
MPphoto
 
 

  Marco Cappato, relator. − (IT) Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, desejo agradecer ao senhor deputado Swoboda do Grupo Socialista no Parlamento Europeu o facto de ter retirado esta alteração, em nome da simplificação, e também pelo facto de esclarecer que a proposta não é, por assim dizer, o único instrumento.

Gostaria de apresentar uma alteração oral à alteração apresentada pelo Grupo PPE-DE, também visando a simplificação: o início do parágrafo seria o seguinte: "considera a não-violência o meio mais idóneo", e o resto do parágrafo mantinha-se. Solicito ainda que a expressão "não-violência" fosse escrita como uma única palavra em todas as versões linguísticas, porque não é meramente um conceito negativo que indica a ausência de violência, mas um conceito positivo de acção, como Dalai Lama, Gandi e outras personalidades históricas nos ensinaram.

 
  
  

(O Parlamento aceita a alteração oral)

- Antes da votação do n.º 23:

 
  
MPphoto
 
 

  Hélène Flautre (Verts/ALE). – (FR) Senhora Presidente, quero propor uma alteração oral ao n.º 23, com o acordo do relator, nos seguintes termos:

(EN) "regista com preocupação que, no último ano de actividade, este novo órgão não provou a sua credibilidade, mas realça uma vez mais o papel crucial do ACNUR na arquitectura global da ONU;".

 
  
  

(O Parlamento aceita a alteração oral)

 
Aviso legal - Política de privacidade