Index 
 Texto integral 
Debates
Quarta-feira, 4 de Fevereiro de 2009 - Estrasburgo Edição JO

Protecção consular dos cidadãos da União Europeia em países terceiros (debate)
MPphoto
 

  Gay Mitchell (PPE-DE). - (EN) Senhor Presidente, quando nos tornámos deputados ao Parlamento Europeu, foram-nos conferidos livre-trânsitos – assim como acontece a muitas outras pessoas que trabalham para as Instituições da União. Pergunto-me se a Presidência e o Conselho estão cientes da inutilidade deste documento nos Estados-Membros.

Vivi uma situação extremamente difícil nos Países Baixos, ao regressar de uma viagem de trabalho efectuada ao serviço deste Parlamento a África. Sei de um outro deputado – um deputado britânico – que passou por dificuldades em Dublim. É efectivamente necessário que fique claro, nos nossos próprios Estados-Membros, que se trata de um documento de viagem do Parlamento, da Comissão e da União e que deverá ser totalmente respeitado. Aqueles que tratam das diligências relacionadas com as viagens em aeroportos e portos deverão ser totalmente informados da validade deste documento.

Solicito que aborde esta questão com cada um dos Estados-Membros e assegure que o documento em questão seja respeitado, porque este tipo de protecção deveria estender-se aos funcionários e deputados ao Parlamento que viajam em trabalho pelo Parlamento.

 
Aviso legal - Política de privacidade