Връщане към портала Europarl

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (селекциониране)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
Този документ не е достъпен за справка на Вашия език и Ви се предлага на един от горепосочените езици

 Показалец 
 Пълен текст 
Debates
Quarta-feira, 3 de Julho de 2013 - Estrasburgo Edição revista

Segurança rodoviária (B7-0318/2013)
MPphoto
 
 

  João Ferreira (GUE/NGL), por escrito. As estatísticas sobre os números de acidentes rodoviários são alarmantes, principalmente quando se olha ao número de feridos e mortes. As áreas urbanas são das mais afetadas e os peões, motociclistas e ciclistas as vítimas mais frequentes. A resolução dá prioridade às lesões graves nas atividades desenvolvidas no âmbito da segurança rodoviária, tendo em conta a iniciativa da Comissão, a qual pretende adotar uma definição comum de lesões graves com base na classificação internacionalmente reconhecida como escala máxima abreviada de lesões (AIS). São positivas as metas apontadas para redução de acidentes de viação até 40 % para o período entre 2014-2020 e a manutenção do conceito de zero mortes como meta a longo prazo. Neste sentido, propõe-se o melhoramento dos serviços de primeiros socorros e de emergência médica e os cuidados pós-acidente e reabilitação a longo prazo, instando os Estados-Membros a apoiarem o número de emergência europeu 112 e a tornarem completamente operacionais, até 2015, os pontos de atendimento da segurança pública. Votámos favoravelmente.

 
Правна информация - Политика за поверителност