Връщане към портала Europarl

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (селекциониране)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
Този документ не е достъпен за справка на Вашия език и Ви се предлага на един от горепосочените езици

 Показалец 
 Пълен текст 
Debates
Quinta-feira, 10 de Outubro de 2013 - Estrasburgo Edição revista

Relatório Anual de Atividades da Comissão das Petições 2012 (A7-0299/2013 - Edward McMillan-Scott)
MPphoto
 
 

  João Ferreira (GUE/NGL), por escrito. Em 2012, a Comissão das Petições registou 1.986 petições, na sua maioria referentes a direitos fundamentais, ao ambiente, ao mercado interno e à crise económica e social, números em nada desligados das dificuldades que as populações em cada Estado-Membro atravessam no contexto de crise estrutural do capitalismo e das políticas ditas de austeridade na UE. Foram declaradas admissíveis 1.406 petições, das quais 853 foram transmitidas à Comissão para uma análise mais aprofundada e 580 foram declaradas não admissíveis. No que concerne à análise estatística apresentada neste relatório, a maioria das petições diz respeito à UE como um todo (27,3 %), seguindo-se os processos espanhóis (15,0 %), alemães (12,5 %) e italianos (8,6 %). O relatório inclui um considerando que afirma que graças ao trabalho desta comissão, a água foi declarada um bem público pelo Parlamento Europeu. No entanto, o parágrafo do articulado que operacionaliza a recomendação à Comissão Europeia fica-se apenas pela expressão água como um bem comum. Esta incoerência, manifesta chico-esperteza, pretende afastar o carácter público dos serviços, desfigurando o firme combate das populações contra a privatização deste recurso. Em linha, aliás, com outras posições aprovadas pelo Parlamento Europeu a este respeito, que assim demonstra em que conta tem as genuínas aspirações e preocupações dos cidadãos.

 
Правна информация - Политика за поверителност