Grįžti į portalą Europarl

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (atrinkta)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
Šio dokumento jūsų kalba nėra. Prašome pasirinkti kitą kalbą kalbų parinkties juostoje.

 Rodyklė 
 Visas tekstas 
Debates
Terça-feira, 19 de Novembro de 2013 - Estrasburgo Edição revista

Programa "Europa para os Cidadãos" (A7-0424/2012 - Hannu Takkula)
MPphoto
 
 

  João Ferreira (GUE/NGL), por escrito. Este relatório não deixa de se revestir de uma certa hipocrisia. A UE que lança operações de charme, melhor dito, de propaganda, destinadas a convencer os cidadãos de que é valiosa e útil a sua participação, é a mesma UE que evita e recusa a participação dos cidadãos em questões tão fundamentais quanto a aprovação de tratados. É a mesma UE que todos os dias retira direitos aos trabalhadores e aos povos e lhes impõe uma degradação das condições de vida, de dimensão civilizacional. São 215 milhões de euros que se vão gastar nos próximos 7 anos para convencer os cidadãos, para os imbuir de um sentimento de pertença, que reconhecidamente não é partilhado pela maioria - o que só se tenderá a agravar, a seguir-se este caminho. Ademais, 25 % do financiamento deste Programa são dedicados à Vertente 1, que inclui os mais abjetos objetivos de reescrita da História, de carácter profundamente reacionário, e o anticomunismo. Neste relatório refere-se que esta vertente deve ser reforçada. Obviamente, votámos contra.

 
Teisinė informacija - Privatumo politika