Torna al portale Europarl

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (selezionato)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
Tale documento non è disponibile nella sua lingua e le viene proposto in un'altra lingua tra quelle disponibili nella barra delle lingue.

 Indice 
 Testo integrale 
Debates
Terça-feira, 19 de Novembro de 2013 - Estrasburgo Edição revista

Rede transeuropeia de transportes (A7-0012/2013 - Georgios Koumoutsakos, Ismail Ertug)
MPphoto
 
 

  João Ferreira (GUE/NGL), por escrito. Este regulamento pretende desenvolver uma rede transeuropeia de transportes, composta por infraestruturas de transporte ferroviário, de transporte das vias navegáveis interiores, de transporte rodoviário, de transporte marítimo, de transporte aéreo e de transporte multimodal, com o objetivo da criação de um “espaço único europeu dos transportes”, o qual será a espinha dorsal do mercado comum. Estes objetivos, que favorecem preferencialmente alguns grandes países, vão retirar ao Fundo de Coesão para os próximos sete anos, cerca de 11 mil milhões de euros, que sairão do domínio público para, tendencialmente, serem concentrados no setor privado – por via direta ou pelas parcerias público-privadas. A coesão territorial é aqui tida como prioridade. Porém, não podemos aceitar que se retire financiamento dos objetivos primordiais da coesão (componente económica e social), num momento de crise, em que o QFP 2014-2020 foi reduzido nos montantes da coesão em 8,4%, comparativamente ao período antecedente, quando precisava de ser aumentado. Sempre dissemos que, para novos objetivos de coesão, como sendo o da coesão territorial, são necessários recursos adicionais, pelo que o desenvolvimento da rede transeuropeia de transportes não pode passar pela concentração de financiamento público no setor privado, nem tampouco retirar tal financiamento do fundo que permite às regiões diminuírem o fosso que as distancia económica e socialmente.

 
Note legali - Informativa sulla privacy