Volver al portal Europarl

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (selección)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
Este documento no está disponible en su lengua y se le ofrece en una de las lenguas que están disponibles en la barra de lenguas.

 Índice 
 Texto íntegro 
Debates
Quinta-feira, 21 de Novembro de 2013 - Estrasburgo Edição revista

Instituto Europeu de Inovação e Tecnologia (A7-0403/2012 - Philippe Lamberts)
MPphoto
 
 

  João Ferreira (GUE/NGL), por escrito. A Estratégia UE2020, com o peso dos objetivos e medidas que têm conduzido à flexibilidade das relações laborais, aumentando e facilitando despedimentos, entre outros fracassos políticos nos quais a sua agenda tem concentrado energias, atribui um papel de relevo ao Instituto Europeu de Inovação e Tecnologia por considerar que este é um contributo positivo para o seu lema emblemático: crescimento inteligente, sustentável e inclusivo. O regulamento ao qual este relatório propõe algumas alterações cria o Instituto Europeu de Inovação e Tecnologia, estando naturalmente inserido na concretização dos objetivos do programa-quadro Horizonte 2020, através da integração do triângulo do conhecimento constituído pelo ensino superior, pela investigação, e pela inovação. São muitas as críticas que tecemos relativamente ao programa em causa, dadas as ligações que estabelece entre o financiamento das estruturas que desenvolvem a investigação e os interesses económicos e da indústria, com a clara canalização preferencial de fundos para o setor privado em detrimento da investigação pública. A nossa posição relativamente à criação do Instituto Europeu de Tecnologia, aquando da aprovação do regulamento em 2008, foi muito crítica, aliás, na sequência da posição assumida por diversas organizações de investigação. Com estas intenções e baseado nestes princípios, não podemos aprovar tal regulamento.

 
Aviso jurídico - Política de privacidad