Terug naar het Europarl-portaal

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (huidige pagina)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
Dit document is niet beschikbaar in uw taal, en wordt u aangeboden in een van de andere beschikbare talen in de talenbalk.

 Index 
 Volledige tekst 
Debates
Segunda-feira, 9 de Dezembro de 2013 - Estrasburgo Edição revista

Atlântico Nordeste: espécies de profundidade e pesca em águas internacionais - Situação da pesca da sarda no Atlântico Nordeste (debate)
MPphoto
 

  João Ferreira (GUE/NGL). - A situação da pesca da sarda no Atlântico Nordeste exige uma discussão que vai além dos níveis de pesca da Islândia e das Ilhas Faroé. É a própria repartição de quotas entre Estados-Membros que merece uma discussão séria na base de informação atualizada sobre o estado do recurso e do respetivo stock populacional. A evolução do stock tem levado, por exemplo em Portugal, a uma maior abundância relativa da espécie nas águas nacionais nos últimos anos, pelo que a quota portuguesa atual se encontra desadequada face à situação real do recurso, como o demonstra, de resto, o fecho da quota em regra muito mais cedo do que noutros países e numa situação de comprovada abundância do recurso.

As chaves de alocação de recursos entre Estados-Membros devem acompanhar a evolução do stock e a abundância relativa dos recursos em cada zona. Só assim se evita que, em nome de uma estabilidade relativa, se imponha, de facto, uma estabilidade absoluta injusta e desadequada da realidade.

 
Juridische mededeling - Privacybeleid