Zpět na portál Europarl

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (výběr)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
Tento dokument není k dispozici ve vašem jazyce a je vám nabízen v jiném, který lze zvolit na liště jazyků.

 Seznam 
 Úplné znění 
Debates
Quarta-feira, 11 de Dezembro de 2013 - Estrasburgo Edição revista

Fundo Europeu de Ajustamento à Globalização 2014-2020 (A7-0005/2013 - Marian Harkin)
MPphoto
 
 

  João Ferreira (GUE/NGL), por escrito. O Fundo Europeu de Ajustamento à Globalização foi estabelecido em 2006 (com uma duração prevista entre 2007 e 2013) com o objetivo de habilitar a União Europeia a mostrar a sua solidariedade aos trabalhadores despedidos em resultado de mudanças estruturais nos padrões do comércio internacional, devido à globalização, e a apoiar a sua rápida reintegração no mercado de trabalho. É iniludível um certo cinismo, da parte de quem prossegue afincadamente essas mesmas mudanças estruturais que estão na base do rasto de despedimentos e empobrecimento. Na altura votámos contra esta operação de branqueamento das deslocalizações das multinacionais, considerando-a inaceitável afirmando que mais do que paliativos, o que era necessário era uma mudança das políticas que sustentam esta globalização capitalista, evitando o desemprego. Pretende-se agora que este Fundo seja prolongado para o período 2014-2020. A Comissão propôs o alargamento do âmbito do Fundo aos agricultores. Uma forma de legitimar as consequências potencialmente devastadoras dos acordos de livre comércio que a UE anda a assinar por esse mundo fora - o que foi felizmente rejeitado Ainda assim, o âmbito foi alargado e alguns outros critérios foram alterados. Independentemente destas alterações, as razões que estiveram na base do nosso voto contra em 2006 são novamente inteiramente válidas.

 
Právní upozornění - Ochrana soukromí