Volver al portal Europarl

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (selección)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
Este documento no está disponible en su lengua y se le ofrece en una de las lenguas que están disponibles en la barra de lenguas.

 Índice 
 Texto íntegro 
Debates
Quinta-feira, 16 de Janeiro de 2014 - Estrasburgo Edição revista

Venda da cidadania da UE (RCB7-0015/2014, B7-0015/2014, B7-0017/2014, B7-0028/2014, B7-0029/2014, B7-0030/2014, B7-0031/2014)
MPphoto
 
 

  João Ferreira (GUE/NGL), por escrito. Esta resolução critica de forma justa a concessão de cidadania nalguns Estados-Membros, tendo como critério principal a capacidade financeira dos requerentes. Concedem direitos de cidadania aos detentores de capital para atrair o desenvolvimento de atividades económicas (algumas delas, pela sua natureza, poderão estar envolvidos ou vir a gerar fraude, fuga e evasão fiscais e o branqueamento de capitais). Trata-se de uma forma de conceder direitos em sintonia com a política de emigração da UE e o seu carácter discriminatório, elitista e repressivo dos trabalhadores de menores habilitações e formação e sem meios, privilegiando todos os que de alguma forma poderão dar lucros ao grande capital. E isso não é nem podia ser reconhecido nesta resolução, daí uma certa hipocrisia nas críticas aqui feitas. Votámos favoravelmente o primeiro parágrafo desta resolução por também nós condenarmos estas práticas e as legislações que as permitem. Mas há aspetos desta resolução de que claramente nos distanciamos. O conceito de cidadania europeia é um conceito muito discutível e artificial, com objetivos reais que contrariam muitos dos objetivos expressos, sempre envoltos no celofane de supostos direitos, que são afrontados, na prática, a cada dia.

 
Aviso jurídico - Política de privacidad