Връщане към портала Europarl

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (селекциониране)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
Този документ не е достъпен за справка на Вашия език и Ви се предлага на един от горепосочените езици

 Показалец 
 Пълен текст 
Debates
Segunda-feira, 24 de Fevereiro de 2014 - Estrasburgo Edição revista

Corpo Europeu de Voluntários para a Ajuda Humanitária (debate)
MPphoto
 

  João Ferreira (GUE/NGL). - Senhora Presidente, não pomos em causa, pelo contrário, muito valorizamos os sentimentos de altruísmo e de genuína solidariedade e generosidade que levam muitos europeus a abraçar o voluntariado, sob formas muito diversas, nos países em desenvolvimento. Mas, até por isso, não podemos daqui manifestar algumas reservas face a esta proposta de criação de um corpo de voluntários da União Europeia para a ajuda humanitária. Distanciamo-nos de uma certa visão instrumental do voluntariado, que procura expressar através dele valores e sentimentos que estão muito longe de estar presentes na ação geral da União Europeia e particularmente nas suas políticas setoriais, algumas delas com efeitos consabidamente perniciosos nos países em desenvolvimento.

A proposta tem, além disso, outras nuances e implicações que, em geral, não nos parece que contribuam, como seria desejável e necessário, para o reforço da cooperação para o desenvolvimento. Sendo justas algumas das preocupações, outras deveriam ser as soluções.

 
Правна информация - Политика за поверителност