Voltar ao portal Europarl

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (seleccionado)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
 Index 
 Texto integral 
Debates
Terça-feira, 25 de Fevereiro de 2014 - Estrasburgo Edição revista

Cultivo seletivo de plantas (A7-0044/2014 - Marit Paulsen)
MPphoto
 
 

  João Ferreira (GUE/NGL), por escrito. - Este relatório peca desde logo pela assunção de que as opções para aumentar a qualidade e a produção agrícola são apenas as de cultivo selectivo de plantas, nomeadamente da selecção genética. Este relatório é uma defesa dos OGM na Europa, fazendo crer que serão uma inevitabilidade se queremos responder às dificuldades alimentares e de perda de biodiversidade que começamos já a enfrentar. Referindo-se aos dados da FAO e da OMS acerca do défice alimentar e pobreza, perda de biodiversidade, degradação dos agro-ecossistemas e aceleração das alterações climáticas, este relatório desfaz-se em argumentos, para responder a estes dados, que justifiquem que a única causa são a falta de variedade dos produtos agrícolas e o pouco investimento à investigação de novas culturas e métodos de cultivo, não referindo nunca que esses desequilíbrios radicam nas políticas agrícolas e comerciais vigentes e não encontrarão solução sem uma alteração profunda de ambas. Este relatório quer fazer crer que outro dos problemas causadores desta situação é o facto de existência de solo novo disponível cultivável ser limitada, sendo por isso vital desenvolver uma agricultura caracterizada pela alta produtividade e alta qualidade, ou seja, a agricultura intensiva e industrial. Defende a manipulação genética. Elogia as directivas que visam abrir portas à introdução de patentes sobre a vida.

 
Aviso legal - Política de privacidade