Go back to the Europarl portal

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (Selected)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
This document is not available in your language. Please choose another language version from the language bar.

 Index 
 Full text 
Debates
Quarta-feira, 12 de Março de 2014 - Estrasburgo Edição revista

A invasão da Ucrânia pela Rússia (debate)
MPphoto
 
 

  João Ferreira (GUE/NGL), por escrito. O título deste debate - adotando uma formulação que não vingou no Conselho Europeu - é sobremaneira elucidativo sobre a abordagem da maioria deste Parlamento da situação na Ucrânia. Nem uma palavra sobre o golpe de Estado levado a cabo pelos sectores mais reacionários da oligarquia ucraniana (com o apoio externo), após meses de desestabilização e violência, após o anúncio da suspensão da assinatura do acordo de associação com a UE e instrumentalizando o profundo e justo descontentamento de amplas camadas da população, resultante do desastre social e económico da restauração do capitalismo na Ucrânia nas últimas duas décadas.

Nem uma palavra sobre a brutal ingerência e desestabilização dos EUA, da UE e da NATO na situação interna da Ucrânia que – promovendo e apoiando forças de extrema-direita, neonazis e xenófobas e fomentando o exacerbar de tensões, de divisões e clivagens –, visa assegurar o domínio político, económico e militar deste imenso país. Este é um caminho perigoso, que representa uma acrescida ameaça à segurança e à paz na Europa e no mundo. Denunciamos aqui vivamente a promoção das forças de extrema-direita, de cariz fascista e neonazi, do anticomunismo na Ucrânia – no que constitui uma séria ameaça à democracia, aos direitos e liberdades e à própria integridade e soberania do país.

 
Legal notice - Privacy policy