Powrót na stronę Europarl

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (wybrano)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
Ten dokument nie jest dostępny w Państwa języku i został zaproponowany w innym języku spośród dostępnych w pasku języków.

 Indeks 
 Pełny tekst 
Debates
Quarta-feira, 12 de Março de 2014 - Estrasburgo Edição revista

O papel regional do Paquistão e as suas relações políticas com a UE (A7-0117/2014 - Boris Zala)
MPphoto
 
 

  Maria do Céu Patrão Neves (PPE), por escrito. - O presente relatório versa sobre o papel regional do Paquistão e as suas relações políticas com a UE. A União deve reforçar o seu apoio ao Paquistão democrático, seguro e bem governado, com um sistema judicial independente e uma boa governação que respeite o Estado de direito e os direitos humanos. Em matérias de segurança é extremamente necessário que o governo paquistanês cumpra as suas obrigações e responsabilidades. É, também, importante deixar claro às autoridades paquistanesas que é inaceitável a exportação de armas nucleares para países terceiros. Concordo com o relator que a assinatura e ratificação, pelo Paquistão, do Tratado de Não Proliferação das Armas Nucleares é um passo necessário. Por concordar com exposto no presente relatório e por defender que as relações entre a União e o Paquistão devem tornar-se mais profundas e abrangentes, através do diálogo político, no sentido da democratização do país voto favoravelmente este documento.

 
Informacja prawna - Polityka ochrony prywatności