Powrót na stronę Europarl

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (wybrano)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
Ten dokument nie jest dostępny w Państwa języku i został zaproponowany w innym języku spośród dostępnych w pasku języków.

 Indeks 
 Pełny tekst 
Debates
Quarta-feira, 12 de Março de 2014 - Estrasburgo Edição revista

O património gastronómico europeu (A7-0127/2014 - Santiago Fisas Ayxela)
MPphoto
 
 

  Maria do Céu Patrão Neves (PPE), por escrito. - A evolução que teve lugar nos últimos anos fez ressaltar que a alimentação, tomada no seu sentido mais amplo, tem uma importância extraordinária na sociedade contemporânea. Por um lado, no quadro dos Objetivos do Milénio, cabe envidar um maior esforço para pôr termo à fome e aos problemas de água potável em todos aqueles países que ainda sofrem deste flagelo humanitário, que é absolutamente inadmissível no século XXI. Por outro lado, é surpreendente que a alimentação se tenha convertido numa causa fundamental de doenças e de patologias que geram despesas extraordinárias, na assistência sanitária pública ou privada em países desenvolvidos, com níveis económicos aceitáveis, por falta de cultura e/ou de educação. Com efeito, uma alimentação inadequada é a principal causa de obesidade, anorexia, doenças cardiovasculares, diabetes, problemas gástricos, etc. Neste sentido votei favoravelmente o presente relatório que sublinha a necessidade vital de a União Europeia desenvolver políticas de educação em alimentação e gastronomia.

 
Informacja prawna - Polityka ochrony prywatności