Go back to the Europarl portal

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (Selected)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
This document is not available in your language. Please choose another language version from the language bar.

 Index 
 Full text 
Debates
Quarta-feira, 16 de Abril de 2014 - Estrasburgo Edição revista

Espécies exóticas invasoras (A7-0088/2014 - Pavel Poc)
MPphoto
 
 

  João Ferreira (GUE/NGL), por escrito. - A libertação no ambiente de espécies exóticas pode levar à sua proliferação e constituir uma ameaça às espécies indígenas, tendo impacto negativo na biodiversidade e no equilíbrio dos ecossistemas. As espécies invasoras constituem um sério problema em praticamente todas as regiões do mundo, um processo associado à ação antrópica que se vem acentuando tanto que assumiu a dimensão de crise global, gerando extensas repercussões negativas no equilíbrio ecológico, na economia, na agricultura, na sociedade, nomeadamente através de problemas de saúde, e na cultura. Só na UE são estimadas perdas de pelo menos 12 mil milhões de euros por ano devido às espécies exóticas invasoras, sendo razão para a Comissão Europeia apresentar uma proposta de regulamento que estabelece uma lista das espécies exóticas invasoras e o quadro de ação para atacar este problema. A proposta hoje votada apresenta aspetos positivos. A proposta da Comissão limitava a lista das espécies a 50 espécies e proibia toda a troca e comercialização de espécies desta lista. Esta proposta não limita o número de espécies e, além disso, tem em conta que uma espécie nativa num Estado-Membro pode ser invasora noutro. É destacada a importância das espécies emergentes e das que têm potencial para causar danos significativamente maiores. Votámos favoravelmente. Continuaremos a acompanhar esta questão.

 
Legal notice - Privacy policy