Voltar ao portal Europarl

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (seleccionado)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
 Index 
 Texto integral 
Debates
Terça-feira, 8 de Setembro de 2015 - Estrasburgo Edição revista

Investigação e Desenvolvimento na economia azul para criar emprego e crescimento (A8-0214/2015 - João Ferreira)
MPphoto
 
 

  Ricardo Serrão Santos (S&D), por escrito. ‒ A Economia Azul abarca um amplo espetro de setores de atividade económica ligados aos mares e aos oceanos, incluindo setores tradicionais ou estabelecidos e setores emergentes, como as pescas, a aquacultura, os transportes marítimos e fluviais, os portos e a logística, o turismo e a náutica de recreio e de cruzeiro, a construção e reparação naval, as obras marítimas e de defesa da orla costeira, a prospeção e exploração de recursos minerais, a prospeção e exploração de recursos energéticos eólicos e marinhos e a biotecnologia, entre outros. Como estímulo especial a alguns destes setores, a Comissão Europeia criou uma estratégia chamada "Crescimento Azul".

Sou a favor deste relatório e realço que devem ser acolhidos pelas instituições europeias aspetos como a rejeição de cortes no Programa-Quadro de Investigação Horizonte 2020 e que deve ser dada uma atenção especial às regiões ultraperiféricas, como no caso dos Açores e da Madeira.

Concordo com o investimento e o uso do mar, desde que enquadrado por bom conhecimento e dentro dos limites da sustentabilidade ambiental.

 
Dados pessoais - Política de privacidade