Voltar ao portal Europarl

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (seleccionado)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
 Index 
 Texto integral 
Debates
Quarta-feira, 4 de Julho de 2018 - Estrasburgo Edição revista

Conclusão do terceiro programa de ajustamento económico para a Grécia (debate)
MPphoto
 

  José Manuel Fernandes (PPE). – Senhora Presidente, Senhor Comissário, Senhor Presidente do Eurogrupo, Caras e Caros Colegas, o próximo Quadro Financeiro Plurianual de 2021 a 2027, os próximos fundos são cruciais, são fundamentais para termos uma Europa coesa, uma Europa competitiva, uma Europa segura, mas também para termos uma zona euro forte e estável e o senhor presidente do Eurogrupo nesta matéria não tem dito nada, tem sido inexistente.

Era importante que nós soubéssemos, por exemplo, se o presidente do Eurogrupo concorda com a proposta do Parlamento ou com a proposta da Comissão para o próximo Quadro Financeiro Plurianual e se concorda, por exemplo, com cortes na política de coesão e o seu desvirtuamento: um corte, por exemplo, no fundo de coesão de 45 %, que é para os países mais pobres, aqueles que têm menos de 90 % do Rendimento Nacional Bruto per capita; se concorda, por exemplo, que Estados-Membros mais ricos tenham até aumentos na política de coesão e Estados-Membros mais pobres, como Portugal, tenham 7 % e outros até tenham 24 % de cortes; ou, por exemplo, se concorda que na política agrícola comum haja um corte de 15 %, tendo Portugal um corte de 10 % nos pagamentos diretos e de 25 % no desenvolvimento rural.

São estas perguntas que nós queremos porque os problemas evitam-se e daí também é importante, é essencial sabermos qual é a posição que o presidente do Eurogrupo tem sobre a capacidade orçamental. Concorda com o embrião que está proposto? Concorda com os 30 mil milhões de euros para um fundo para a estabilização do investimento? Concorda também com um programa nacional para as reformas estruturais de 25 mil milhões e com os critérios.

Gostávamos de ouvir o Sr. Presidente do Eurogrupo nesta matéria e precisávamos de um presidente forte e liderante e esperamos que tal venha a acontecer.

 
Última actualização: 27 de Setembro de 2018Dados pessoais - Política de privacidade