Voltar ao portal Europarl

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (seleccionado)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
 Index 
 Texto integral 
Debates
Terça-feira, 17 de Dezembro de 2019 - Estrasburgo Edição revista

Condições de bem-estar animal no transporte para países terceiros (debate)
MPphoto
 

  Francisco Guerreiro, em nome do Grupo Verts/ALE. – Senhor Presidente, estamos reunidos para testemunhar o fracasso das políticas europeias no que toca à proteção do bem-estar animal. A 24 de novembro, mais de 14 mil ovelhas morreram afogadas no Mar Negro depois de um navio de transporte de animais vivos se ter afundado ao largo da Roménia e esta tragédia era expectável pois um relatório de 2018, emitido por este mesmo Parlamento, já denunciava as graves lacunas da legislação europeia e o incumprimento sistemático de vários Estados-Membros dos regulamentos comunitários.

Mais, os relatos de várias organizações não-governamentais demonstram que não existem condições de bem-estar animal a bordo desses navios, tal como as garantias fitossanitárias que, nos países que recebem estes animais, maioritariamente no Médio Oriente, são muitas vezes inexistentes.

Em suma, o comércio em torno da exploração brutal e desumana destes animais não pode senão ser considerado como um atentado a qualquer sociedade dita “desenvolvida”, pelo que não há outro caminho senão terminar com a exportação de animais vivos para fora da União Europeia.

E a pergunta que coloco à nova Comissão é se têm coragem para terminar, já, com esta barbárie?

 
Última actualização: 20 de Fevereiro de 2020Dados pessoais - Política de privacidade