Voltar ao portal Europarl

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (seleccionado)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
 Index 
 Texto integral 
Debates
Quinta-feira, 16 de Janeiro de 2020 - Estrasburgo Edição revista

Burundi, nomeadamente a liberdade de expressão
MPphoto
 

  Isabel Santos, em nome do Grupo S&D.(início da intervenção com o microfone desligado) ... a liberdade de expressão no Burundi tem sido alvo de diversos ataques. O caso dos jornalistas e do seu motorista presos no final de 2019 é apenas mais um numa longa lista de casos de sérias violações de direitos humanos cometidos neste país.

As Nações Unidas, através do seu Secretário-Geral e do Conselho dos Direitos Humanos, trouxeram a público preocupações graves sobre a situação dos direitos humanos, em geral, e o respeito da liberdade de expressão, em particular: assassinatos, tortura, detenções arbitrárias e outras formas de tratamento desumano são mencionadas pelas Nações Unidas, tudo num clima de impunidade generalizada.

Os casos de violação da liberdade de expressão hoje em discussão são um reflexo dessa repressão generalizada e devem merecer a nossa veemente reprovação.

Apelamos, por isso, à libertação dos quatro jornalistas presos no final do ano – Christine Kamikazi, Agnès Ndirubusa, Térence Mpozenzi, Egide Harerimana e o seu motorista, Adolphe Masabarikiza – e que se criem condições para eleições livres e democráticas no próximo mês de maio.

 
Última actualização: 26 de Fevereiro de 2020Dados pessoais - Política de privacidade