Voltar ao portal Europarl

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (seleccionado)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
 Index 
 Texto integral 
Debates
XML 1k
Terça-feira, 8 de Junho de 2021 - Estrasburgo Edição provisória

Pesca e aquicultura resilientes às alterações climáticas na UE (debate)
MPphoto
 

  Isabel Carvalhais (S&D). – Senhora Presidente, Senhor Comissário, as alterações climáticas exigem-nos resiliência e adaptação. O desenho dessa resiliência e adaptabilidade implica uma abordagem global e integrada que inclua também as atividades de pesca, de modo a que façam parte do esforço coletivo pela sustentabilidade e regeneração da natureza. Mas, no combate às alterações climáticas e no que aos oceanos diz respeito, as ações de luta têm de ser ações coordenadas com todos os parceiros envolvidos.

Por muito importantes e ambiciosas que sejam as medidas aplicadas às frotas ou às empresas de aquicultura, elas não terão o efeito desejado se medidas similares e com o mesmo grau de exigência não forem implementadas também por todos os parceiros globais.

A União Europeia tem, por isso, de trabalhar junto das organizações regionais de pescas de modo a garantir a implementação de ações, pelo menos com a mesma ambição que sustenta as medidas impostas aos pescadores e aos produtores aquícolas.

 
Última actualização: 23 de Junho de 2021Aviso legal - Política de privacidade