Voltar ao portal Europarl

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (seleccionado)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
Perguntas Parlamentares
PDF 43kWORD 10k
5 de Março de 2020
E-001373/2020
Pergunta com pedido de resposta escrita
à Comissão
Artigo 138.º do Regimento
Lídia Pereira, José Manuel Fernandes, Álvaro Amaro, Maria da Graça Carvalho
 Resposta escrita 
 Assunto: Estado de implementação da Diretiva 2011/24/UE, de 9 de março de 2011, relativa ao exercício dos direitos dos doentes em matéria de cuidados de saúde transfronteiriços

A Diretiva 2011/24/UE, de 9 de março de 2011, relativa ao exercício dos direitos dos doentes em matéria de cuidados de saúde transfronteiriços previa a criação de redes europeias de referência, estabelecidas desde 2017 e vocacionadas para facilitar o diagnóstico e a prestação de cui­dados de saúde aos doentes cuja condição clínica exija uma concentração especial de recursos, ou de conhecimentos especializados.

Ao longo dos últimos anos, a Comissão Europeia (CE) tem apoiado o registo das características e dos sintomas associados a doenças raras. A disponibilização destes dados tem permitido diagnósticos mais precoces e, consequentemente, a aplicação atempada de medicação e terapias adequadas.

Porém, a lenta recuperação económica dos Estados-Membros tem limitado o investimento no setor da Saúde, sendo evidentes as diferenças entre os Estados, ou mesmo entre regiões de cada Estado. Em simultâneo, tem vindo a assistir-se a um aumento da prevalência de doenças crónicas, nas quais se incluem as doenças raras.

1. Dado que as redes europeias de referência são financiadas ao abrigo de programas europeus, a CE já dispõe de informação sobre a avaliação do funcionamento das redes de referência?

2. No que respeita às doenças raras, dispõe a CE de informação quanto ao número e à percentagem de pacientes que já receberam cuidados de saúde transfronteiriços ao abrigo da Diretiva supramencionada?

Apoiante(1)

(1)Esta pergunta é apoiada por outro deputado para além dos próprios autores: Cláudia Monteiro de Aguiar (PPE)
Última actualização: 23 de Março de 2020Dados pessoais - Política de privacidade